PT/BR
Milícia da Imaculada
-A   +A

05/06/2017 - 15h41: De onde vem o Espírito Santo? Onde Ele habita? O que Ele provoca?

No domingo de Pentecostes e na segunda-feira seguinte, Frei Sebastião, reitor do Santuário Imaculada Conceição e São Maximiliano Kolbe, recordou a importância dos tempos litúrgicos e comparou o Ano Litúrgico a uma rodovia cuja chegada é Deus. "Temos de entrar nesse movimento (a liturgia) e ver que temos uma meta cujo final é Deus. Caminhar no ano litúrgico é ir pela rodovia de nome Jesus (Eu sou o Caminho), abraçar Pentecostes que está dentro de nós, para ter luz, uma força incrível e a certeza da vitória".

Comentando as leituras do dia 5 de junho, o frade recordou que o fenômeno de Pentecostes continua. "Nós somos conduzidos pelo Espírito Santo. Pentecostes é um fenômeno permanente." No texto do Evangelho (Mc 12,1-12), "vemos um Deus que nunca desiste. Ama sempre, não cansa de perdoar a ponto de enviar o Seu Filho. Deus não destruiu a vinha mas fez da morte do Filho o recomeço da criação. Da cruz, veio a vida para que o mundo reconheça, na história, a Sua vitória. E, a partir da cruz, ver na ressurreição o recomeço, o êxito do nosso trabalho de evangelização. Temos de conquistar o mundo a Cristo. O Espírito Santo modifica as pessoas por dentro e implanta em cada um de nós o rosto de Jesus", ressaltou, convidando os fiéis a continuar a teimosia de Deus de transformar o mundo a exemplo de São Bonifácio.

Na homilia do domingo, Frei Sebastião explicou cada um dos sete dons do Espírito Santo (Conselho, Piedade, Temor de Deus, Fortaleza, Ciência, Inteligência e Conselho) e disse que a terceira pessoa da Santíssima Trindade é parte do mistério divino e como tal deve ser compreendida à luz da fé. 

Para responder às três perguntas, Frei Sebastião utilizou as leituras da Missa de Pentecostes. 

De onde vem o Espírito Santo? A resposta está no texto do Evangelho (Jo 20,19-23): o Espírito Santo vem de Jesus e Jesus vem do Pai. Assim as três pessoas não podem ser desassociadas. "O Espírito é a Vida, é o Dom permanente de Jesus que emana do Ressuscitado. É Cristo que doa Seu Espírito", explicou.

Onde Ele habita? A resposta está na segunda leitura (1Cor 12). Ele está na Igreja, em cada um de nós. "Está no Céu da alma de cada um de nós. A missão da Igreja é perdoar os pecados. Mas o que significa "perdoar os pecados"? É, através da mediação humana, tirar os obstáculos, pecados, libertando cada pessoa para que livre possa buscar Deus. Somos templos vivos do Espírito Santo", indicou.  

O que Ele provoca? O fenômeno visto em Pentecostes (Atos 2,1-11). O Espírito retira todas as barreiras ao anúncio de Jesus. Ele perdoa os pecados retirando os entraves do coração humano que o impedem de amar e ir ao encontro dos irmãos. "O Espírito é fogo, não que consome, mas que ilumina. É luz". Frei Sebastião explica ainda: "O Espírito transforma você e permite que você veja Deus, transforma sua inteligência, movimenta tudo e faz com que ao ler o Evangelho, você sente-se provocado a testemunhar Jesus, muito mais do que reduzir o Espírito Santo a fenômenos. Ele permite que Jesus viva em você como disse São Paulo (Não sou que vivo. É Cristo que vive em mim)." 

Ouça na íntegra as homilias dos dias 4 e 5 de junho aqui.





Compartilhe


Voltar