PT/BR
Milícia da Imaculada
JornalismoIgreja
-A   +A

11/10/2017 - 20h56: Flores para Maria

O Papa Francisco enviou uma Rosa de Ouro para Nossa Senhora Aparecida. Quem trouxe para o Brasil a honraria foi o Cardeal Giovanni Battista Re, Prefeito emérito da Congregação para os Bispos e Presidente emérito da Pontifícia Comissão para a América Latina. Ele representa o pontífice que não pode estar presente na celebração nos 300 anos de encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida. O Cardeal Re foi acolhido no Santuário Nacional na segunda-feira, 9 de outubro, e dirigiu afetuosa saudação ao povo brasileiro. Ele destacou que “é uma grande festa de fé” o jubileu celebrado neste ano.

“O Papa Francisco, além de me fazer seu representante, me incumbiu de trazer uma rosa de ouro como símbolo de sua devoção à rainha e padroeira do Brasil. E como expressão de seu carinho pelo povo brasileiro, esta rosa de ouro permanecerá neste santuário muito querido ao coração de todos os brasileiros, permanecerá como testemunho da oração do Papa Francisco à Santíssima Virgem Maria, Mãe de Deus e nossa mãe, pelo progresso do Brasil”, disse o Cardeal Giovanni Battista Re. Em sua fala o purpurado saudou o povo brasileiro e recordou palavras do Papa pronunciadas no Santuário quando esteve em 2014 no Brasil. O Cardeal informou ainda que na celebração conclusiva dos festejos, no dia 12 de outubro, às 19h, o Papa Francisco estará em ligação direta com o Santuário por meio da televisão e “ teremos a alegria de ver e ouvir a sua voz”, afirmou Re.

 


O Arcebispo de Aparecida - SP, Dom orlando Brandes escreveu ao Papa palavras de gratidão: “Agradecemos ao Papa Francisco o envio da Rosa de Ouro, em comemoração aos 300 anos do encontro da imagem da Mãe Aparecida no rio Paraíba do Sul. Obrigado, Santo Padre, por mais esta demonstração de amor, devoção e carinho para com Nossa Senhora Aparecida”, registrou o arcebispo na missiva.

Esta é a terceira rosa de ouro ofertada a Nossa Senhora Aparecida. O Papa Leão XIII entregou a primeira à Princesa Isabel por ocasião da abolição da escravidão, em 1988; a segunda foi oferecida pelo Papa Paulo VI em 1967, quando se completavam 250 anos do encontro da imagem; a terceira rosa foi trazida pessoalmente pelo Papa Bento XVI que esteve no Brasil em 2007 para conduzir em Aparecida - SP o encontro dos bispos latino-americanos e canonizar Frei Antônio de SantAna Galvão.

Por Paulo Teixeira (Redação MI)





Compartilhe


Voltar