Por Josimara dos Santos, MIPK Em São Maximiliano Kolbe

Um sonho, um homem, uma história da qual somos herdeiros

“Quando fogo do amor se acende não se pode conter nos limites do coração, mas irradia para fora e incendeia, devora, absorve outros corações. Conquista cada vez mais almas ao seu ideal, à Imaculada” (EK 1325)

Divulgação
Divulgação


As cinzas de São Maximiliano Kolbe chegaram até os seus herdeiros espalhados pelo mundo, participantes de uma grande herança, de um sonho que não se encerrou ali na doação de sua vida. Quem toma conhecimento da vida e do martírio de São Maximiliano Kolbe fica como que encantado e também interpelado. Tantas perguntas brotam no coração para dar respostas ao nosso caminho de fé, hoje.

São Maximiliano Kolbe, que amor foi esse pela Imaculada, que norteou toda sua vida? Que intimidade foi essa com Deus a ponto de dar a própria vida no lugar de um desconhecido? Que testemunho de vida impressionante que me conquistou e fascinou! Por que diante de tantas situações óbvias não consigo encontrar as respostas e você, em Auschwitz, conseguiu, com clareza, amar sem limites até as últimas consequências?

Parando para pensar, nos deparamos com o início de tudo: a Imaculada, o motor de sua vida. Recapitulando toda a história de São Maximiliano lembramos que fez tudo com amor e pela Imaculada: fundou a Milícia da Imaculada; imprimiu a revista O Cavaleiro da Imaculada; criou Niepokalanów, a Cidade da Imaculada; partiu para o Oriente sem conhecer a língua, sem dinheiro, sem nenhum contato.



Maximiliano partiu sempre em sua vida para conquistar para Cristo as pessoas por meio da Imaculada. Auschwitz foi o seu último campo de apostolado com a missão de conduzir a Deus o coração daqueles nove condenados a morrer de fome e sede com ele; e também daqueles que vieram a ter contato com ele no Campo de Concentração.

Em um dos escritos de São Maximiliano Kolbe (1159) encontramos: “Comprometamo-nos todos a acelerar este momento... conquistando, de acordo com nossas possibilidades, o maior número de almas à Imaculada, com a oração, com a oferta dos próprios sofrimentos, com o trabalho”.

Sim, nossa vida é feita de trabalho, de lutas e de conquistas de pessoas para Jesus Cristo, começando de nós mesmos, com amor e pela Imaculada.

Fonte: Revista O Mílite

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Josimara dos Santos, MIPK, em São Maximiliano Kolbe

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.