Por Nathalia Silva Em Tá sabendo? Atualizada em 12 JUN 2020 - 09H55

Amor, I love you

Enamorar-se é encantar-se por algo. Inspire-se a viver essa atitude como uma preparação para o Matrimônio e conheça o segredo do sucesso de uma relação amorosa a dois




Namorar significa inspirar amor, portanto, quando encontramos afinidade com alguém em determinados assuntos (gosto, estilo, princípios) e decidimos namorar, o objetivo principal é amar e ser amado. Se quisermos preencher o namoro com um amor verdadeiro precisamos nos aprofundar no conhecer o outro: opiniões, valores e atitudes são fundamentais para continuarmos trilhando este caminho.

No começo tudo é novo e cada dia é uma nova conquista. Você aprecia as qualidades e até os defeitos da pessoa com quem está namorando. Com o tempo este relacionamento fica mais maduro, os dois já se conhecem melhor, um se revela ao outro em suas características e personalidade e então os sentimentos tomam formas um pouco mais definidas.

Neste processo de conhecimento mútuo, a autenticidade de ambos é essencial. Um bom relacionamento não pode se fundamentar em mentiras, por conseguinte, ser verdadeiro consigo e com o outro é de extrema importância.

Dom Eduardo Benes, Arcebispo Emérito de Sorocaba, disse algo de muito valor aos namorados: “Cultivem o respeito na relação, aprofundem os laços de uma amizade sincera, e conheçam sempre mais o Deus-Amor que para o amor nos criou e nos quer definitivamente felizes”. E certamente estas são as instruções que garantem um namoro santo.

Tô ficando... Tô de rolo...

Para construirmos uma casa, precisamos de materiais como tijolos, pedras e areia, porém, se não tivermos o cimento de nada adianta. Sem ele, a casa não fica firme, e corremos o risco de vê-la desabar. O mesmo acontece quando começamos a nos relacionar com alguém: se o amor faltar, os outros sentimentos como o respeito e a compreensão acabam não cumprindo o seu papel. O namoro nada mais é do que o preparo para uma vida a dois “bem construída” e alicerçada em verdades que unem o casal.

Mas existe o “ficar” e, por consequência, o “rolo”.

Tendo base no que já vimos, namorar pode trazer boas experiências e muitos aprendizados em relação à vida. É como se ambos vivessem em uma melodia, que embala e alegra o viver. Se o namoro nos traz tudo isto por que, então, trocar esta oportunidade por algo superficial?

A questão é que “ficar” condiciona um não compromisso e nos limita a conhecer o outro. Sabemos que isto faz parte da juventude hoje, mas é fundamental termos a consciência de que esta não é a melhor forma de relacionamento, pois a cumplicidade que deve existir num casal só é obtida com o tempo de convivência que os dois têm, e isto envolve a confiança de um para com outro e o jeito de lidar com as situações cotidianas.

A arte de se relacionar com alguém não é algo banal, que pode ser tratado sem comprometimento, porque envolve o que temos de mais precioso: sentimentos que devem ser respeitados! O outro é um filho(a) de Deus assim como você, criado à imagem e semelhança do Criador. Podemos pensar um pouco mais sobre isto a partir do que Jesus Cristo disse: “Amai o próximo como a si mesmo”.

O que há de mais belo entre duas pessoas que querem se conhecer melhor é justamente a convivência, a partilha e a comunhão. Isto pode ser vivido no namoro e são passos para encontrarmos a essência que perfuma a vida: o amor!

Um caminho de santidade...

O namoro é o aprendizado a dois, é a catequese para o Sacramento do Matrimônio. Por meio dele, duas pessoas percebem se querem ou não seguir juntas. Então podemos dizer que o namoro é um caminho de santidade, já que este caminhar pode levar ambos aos ensinamentos de Jesus (respeito, perdão, amor, compreensão, etc.) e ao serviço ao próximo.

Como é bonito ver um casal de namorados buscando a vivência cristã, participando de trabalhos paroquiais, enfim, crescendo na fé juntos! Eles têm a missão de buscar o aprofundamento cristão dando testemunho de vida, o que revela o quanto Deus está presente também na vida sentimental de um jovem.

A partir da consciência de que o namoro existe para nos firmar na vocação do matrimônio é que deixamos de nos limitar ao “conhecer superficialmente” e passamos a buscar algo mais duradouro e constante, que traga para nossas vidas aquele tão sonhado sentimento: amar e ser amado.

Oração dos namorados

Senhor, revelaste a alegria do amor entre mim e uma pessoa. Hoje, de mãos dadas, vivenciamos esta maravilhosa experiência: o namoro.

Namorar é aprender a amar, a respeitar as diferenças; é permitir a descoberta um do outro, formando, assim, uma aliança de felicidade.

Ó Mestre, abençoa o nosso namoro. Ensina-nos a amar, compreender, servir, respeitar e perdoar um ao outro. Conserva acesa a chama desse amor aprendiz em nossos corações. Ilumina os nossos projetos e sendo a Tua vontade, fazei-nos felizes para vivermos as realizações. Nós, como namorados, queremos sentir-Te nos caminhos do amor, agora e sempre. Amém.

Perguntas para você comentar abaixo:

1- Você acha que o “ficar” é um jeito superficial de se relacionar com alguém especial?

2- É possível trilhar um caminho de santidade no namoro?

3- Como um casal de namorados pode testemunhar a presença de Deus na vida sentimental?

Conheça a revista Jovem Mílite de junho. Venha fazer parte da nossa família consagrada: Seja um jovem mílite também!

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Nathalia Silva, em Tá sabendo?

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.