Por Silvia Cunha Em Brasil

Inflação oficial vai a 0,32% em janeiro

IPCA acumulado em 12 meses é de 3,78%

Agência Brasil
Agência Brasil
IPCA acumulado em 12 meses é de 3,78%



O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), inflação oficial do país, registrou 0,32% em janeiro, acima dos 0,15% de dezembro. Em janeiro de 2018, o índice foi de 0,29%. O IPCA foi divulgado na quinta-feira, dia 7, no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No acumulado em 12 meses, a inflação oficial ficou em 3,78%, acima dos 3,75% nos 12 meses imediatamente anteriores.

A inflação de janeiro foi puxada pelo grupo alimentação e bebidas, que cresceu nos últimos 30 dias, fechando o mês em 0,90%. Em seguida, vêm as despesas pessoais, que subiu 0,61%. Juntos, os grupos alimentos e bebidas e despesas pessoais responderam por cerca de 90% do índice do mês.

O item alimentação no domicílio cresceu 0,97% em janeiro, principalmente por conta das altas nos preços do feijão-carioca (19,76%), da cebola (10,21%), das frutas (5,45%) e das carnes (0,78%). O leite longa vida, após cinco meses queda, subiu 2,10%, contribuindo com 0,02 ponto percentual no IPCA de janeiro. Houve ainda grande redução nos preços do tomate (-19,46%), o que auxiliou a conter a alta dos itens alimentícios.

A alimentação fora também acelerou e subiu 0,79%. O destaque ficou com as altas do lanche, que passou de 0,72% para 0,91%, e da refeição, que atingiu 0,90%, quando havia registrado 0,08% no mês anterior.

No caso das despesas pessoais, o aumento de preços foi impulsionado pela alta de itens como excursão (6,77%) e hotel (1,06%) e de alguns serviços como manicure (0,85%) e cabeleireiro (0,69%).

Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, apenas vestuário (-1,15%) apresentou deflação de dezembro para janeiro. Foram registradas variações negativas nas roupas femininas (-2%), roupas infantis (-1,06%) e roupas masculinas (-0,99%). Além disso, os calçados também registraram queda, de -0,65%.

Os itens habitação (0,24%), artigos de residência (0,32%), saúde e cuidados pessoais (0,26%), educação (0,12%), transportes (0,02%) e comunicação (0,04%) também tiveram reação positiva de preço em janeiro.

Com informações da Agência Brasil.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Silvia Cunha, em Brasil

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.