Por Núria Coelho Em Brasil

Pandemia gera aumento da inadimplência em faculdades particulares do país

Em maio, 23,9% dos universitários não conseguiram pagar as mensalidades

Divulgação
Divulgação
pesquisa da Semesp foi realizada com 146 instituições de ensino superior de todo o Brasil


A diminuição da renda dos trabalhadores, o desemprego e as incertezas econômicas durante a pandemia do novo coronavírus atingiram em cheio as universidades particulares brasileiras. Esses fatores levaram ao aumento da inadimplência no setor.

Em maio, 23,9% dos universitários não conseguiram pagar as mensalidades. Esse índice é quase 52% superior ao mesmo período do ano passado. Os cursos de graduação presenciais foram os mais atingidos. Apesar da alta inadimplência dos universitários em maio, no mês anterior esse índice foi ainda maior: ficou em 26%.

As informações são de pesquisa realizada pelo Instituto Semesp, entidade que representa as mantenedoras de ensino superior no Brasil.

Outro dado revelado pelo estudo foi que cerca de 3,6% dos universitários trancaram ou desistiram do curso no mês de maio. Em abril, o índice ficou em 2,8%. As instituições pequenas e médias foram as que tiveram o maior aumento de desistências.

O diretor executivo do Instituto Semesp, Rodrigo Capelato, afirmou que as instituições de ensino superior tiveram que se adaptar à nova realidade de educação à distância e a tendência é que esta modalidade de estudo continue, assim que a pandemia passar.

A pesquisa da Semesp foi realizada com 146 instituições de ensino superior de todo o Brasil, de pequeno, médio e grande porte.

Fonte: Rádioagência Nacional

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Núria Coelho, em Brasil

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.