Por Paulo Teixeira Em Conhecendo Maria

Maria para São Francisco

A figura da Virgem Maria está, para Francisco, em estreita relação com o projeto de salvação que Deus tem para os homens. Conheça também uma saudação à Maria atribuída a São Francisco de Assis




São Francisco de Assis deixou alguns escritos de grande riqueza espiritual e neles percebemos que o centro da espiritualidade de São Francisco era Jesus Cristo. Mas não era uma visão de Jesus como personagem histórico ou personalidade talvez, pelo contrário.

A espiritualidade mariana parte da contemplação da Encarnação de Jesus. A obediência de Maria a Deus é compreendida como atitude mística. O abandono e a confiança de Maria nas mãos de Deus são vistos como o esvaziamento, semelhante ao de Jesus, em função da salvação. Quando o santo se dispõe a viver segundo a forma do santo Evangelho, ele também se esvazia de seus projetos e construções para se confiar em Deus e, sob certo aspecto, encarnar a Palavra divina.

A centralidade de Jesus para o santo é um meio de se inserir na dinâmica trinitária. Esta visão mística de Francisco realça o sentimento em relação ao amor de Deus que quer salvar todos os homens. Por isso, todos são irmãos e até as criaturas fazem parte desta dinâmica de amor.

A figura da Virgem Maria está, para Francisco, em estreita relação com o projeto de salvação que Deus tem para os homens, bem como em relação próxima com a Santíssima Trindade e a Igreja.

São Francisco de Assis realiza seu caminho de fé dentro da doutrina católica. Não cria, nem inventa, mas aprofunda suas raízes no sólido ensinamento da Igreja. Ele alimentava sua fé da Eucaristia e da Palavra de Deus e vivia também com fervor as devoções, peregrinações e liturgias. Inclusive sua devoções marianas, como a Santa Maria dos Anjos, continham a marca da centralidade de Cristo e da salvação dos homens.

A espiritualidade mariana parte da contemplação da Encarnação de Jesus. A obediência de Maria a Deus é compreendida como atitude mística. O abandono e a confiança de Maria nas mãos de Deus são vistos como o esvaziamento, semelhante ao de Jesus, em função da salvação. Quando o santo se dispõe a viver segundo a forma do santo Evangelho, ele também se esvazia de seus projetos e construções para se confiar em Deus e, sob certo aspecto, encarnar a Palavra divina.

Leia MaisPerseverantes na oraçãoAmar Maria e imitar suas virtudesMãe de Cristo e da Igreja Mariologia de São MaximilianoEsta visão de Maria a partir da encarnação com o objetivo de salvação das pessoas é um ponto central da identidade mariana para São Francisco. Maria foi entregue por Cristo à Igreja na hora em que cumpria de forma definitiva o projeto de Deus, ou seja, na cruz (Jo 19,26). Ela, como esposa do Espírito Santo, desde a anunciação é também aquela que tem atitude consoladora no seio eclesial, no início da Igreja, para que todos possam experimentar a “plenitude da graça e verdade” (Jo 1,14) revelada, vivida e instaurada por Jesus Cristo.

Conheça também a Salutatio atribuída a São Francisco de Assis, apreciada no contexto da piedade franciscana:

Saudação à Bem-aventurada Virgem Maria
Ave Senhora, Rainha santa, santa Mãe de Deus Maria, que sois virgem feita Igreja
e escolhida pelo santíssimo Pai do céu,
a qual consagrou com seu santíssimo dileto Filho e com o Espírito Santo Paráclito,
na qual esteve e está toda a plenitude da graça e todo bem.
Ave, palácio dele; ave tabernáculo dele; ave casa dele.
Ave veste dele: ave serva dele; ave mãe dele
e vós todas santas virtudes, que pela graça e iluminação do Espírito Santo sois infundidas nos corações dos fiéis,
para que de infiéis os façais fiéis a Deus.

SALVTATIO BEATÆ MARIÆ VIRGINIS

Ave Domina, sancta Regina, sancta Dei genetrix Maria, quæ es virgo ecclesia facta
et electa a sanctissimo Patre de cælo,
quam consecravit cum sanctissimo dilecto Filio suo et Spiritu sancto Paraclito,
in qua fuit et est omnis plenitudo gratiæ et omne bonum.
Ave palatium eius; ave tabernaculum eius; ave domus eius.
Ave vestimentum eius; ave ancilla eius; ave mater eius
et vos omnes sanctæ virtutes, quæ per gratiam et illuminationem Spiritus sancti infundimini in corda fidelium,
ut de infidelibus fideles Deo faciatis.

Referência: RUGGIERO. V. La vergine e Il mistero dell´incarnazione in San Francesco d´Assisi. In Teotokos, rivista semestrale dell, associazione Mariologica interdisciplinare Italiana. 2011, n. 1
Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Paulo Teixeira, em Conhecendo Maria

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.