A palavra ladainha vem do grego e significa súplica. É um modo de oração suplicante, formada por invocações simples e breves, rezada nas procissões penitenciais.
Por Paulo Teixeira Em O Mílite

Ladainha: História e espiritualidade

A palavra ladainha vem do grego e significa súplica. É um modo de oração suplicante, formada por invocações simples e breves, rezada nas procissões penitenciais.

VIDA ESPIRITUAL | Ladainha: História e espiritualidade

Padre Clemilson Teodoro

A correria dos dias de hoje, a falta de tempo para o diálogo, a comunicação cada vez mais intermediada por tecnologias, poucas palavras precisam informar muitas coisas, ditam o ritmo da vida e quase sempre a qualidade dos nossos relacionamentos. Neste contexto, algumas palavras acabam perdendo o significado originário e são usadas para indicar outro sentido. A palavra ladainha passou por este processo de transformação. É comum escutar expressões como “lá vem novamente com a mesma ladainha”, ou “aquela pessoa me cansa com a ladainha insuportável de lamentação”. 

divulgação
divulgação
Papa João Paulo II em oração


A palavra ladainha vem do grego e significa súplica. É um modo de oração suplicante, formada por invocações simples e breves, rezada nas procissões penitenciais. A repetição lhe dá o tom de intensidade; é oração de quem se encontra em situação de emergência e faz seu pedido com insistência, simplicidade e confiança.

A repetição frequente do Kyrie Eleison provavelmente foi a forma original da oração em forma de ladainha, usada antigamente na Igreja da Ásia e de Roma. Um decreto do ano 529 dizia: “Deixe que o belo costume de todas as províncias do Oriente e da Itália seja mantido (...) cantar com devoção o Kyrie Eleison (...), porque tão agradável e doce canto nunca poderia produzir fadiga”. O número das repetições dependia do presidente da celebração.

No século V, as devoções cristãs começaram a se tornar públicas e realizadas frequentemente com procissões, cantando títulos do Cristo e invocações aos santos, especialmente nos dias em que eram celebradas as festas pagãs. Por volta do ano 590, quando uma epidemia devastou a cidade de Roma, o então papa Gregório Magno exortou os cristãos de Roma à oração, numa grande ladainha penitencial até a Basílica de Santa Maria Maior, para pedir proteção. Na Igreja Oriental, a ladainha faz parte da celebração litúrgica. É oração de intercessão e perdão baseada no salmo 50. A Igreja Latina canta a ladainha dos santos nas solenidades e no rito do sacramento da ordem.

Orações em forma de ladainha são encontradas na bíblia. O louvor das criaturas no livro de Daniel (Dn 3,51-90) é a ladainha mais conhecida no antigo testamento: a criação se une num coro de louvor bendizendo a Deus Criador; o salmo 148, nesta mesma linha, é uma repetição de louvores a Deus pela criação: o salmista convida todas as coisas criadas a louvar a Deus; também o salmo 136 convida o povo, em forma de repetição, a dar graças ao Senhor “porque eterna é a sua misericórdia”. Este modo de oração coloca toda a criação numa celebração litúrgica em que o homem reconduz as criaturas ao Criador.

A ladainha é um modo de rezar que demonstra nossa comunhão com Deus, com os irmãos de fé, que participam da plenitude da glória do Pai. Recorremos a Maria dizendo títulos expressivos que nascem do nosso coração. É um modo simples de rezar, carregado de confiança. Apesar de não compreender o significado de muitas invocações, o povo de Deus sente, na repetição das invocações, a presença, isto já é suficiente. Na oração da ladainha, a beleza e a plenitude acolhem nossa miséria e confiança, na invocação de nossos irmãos e irmãs de fé, que agora participam da plenitude da glória de Deus, na recordação dos títulos e louvores que a Igreja dedica à mãe de Jesus, em nossa abertura confiante à comunhão.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0
Receba todas as novidades

Parabéns, seu cadastro foi efetuado com sucesso!
Você deve receber nossas novidades em breve.

Ops, tivemos um possível erro no cadastro de seu e-mail.
Tente novamente por favor.

Tentar novamente

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Paulo Teixeira, em O Mílite

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.