Por Eduardo Galindo Em Psicologia Atualizada em 09 JUL 2020 - 17H28

Quando o trabalho passa a adoecer

Conheça os sintomas da Síndrome de Burnout




Boa parte do nosso tempo, passamos trabalhando. Por ocupar este espaço importante em nossa vida, é salutar proporcionar um ambiente de trabalho agradável e acolhedor para a promoção da saúde mental de todos. Infelizmente, muitos pacientes procuraram acompanhamento psicológico devido às situações vividas no ambiente de trabalho.

A Síndrome de Burnout é uma perturbação recente que tem preocupado psicólogos e psiquiatras, causada pelo estresse excessivo devido a um esgotamento profissional.

A palavra burnout vem do inglês e significa “queimar até ao fim”. Trata-se, portanto, de um esgotamento físico e mental decorrente de uma rotina de trabalho desgastante, que incapacita o indivíduo de desempenhar tarefas cotidianas. Podemos dizer que esta síndrome é uma resposta complexa à situação de estresse profissional prolongado.

Os sintomas que podemos destacar são: sentimentos de incapacidade, depressão, pensamentos negativos, dores de cabeça, sensação de cansaço e desânimo, distanciamento da vida social e vazio interno. Síndrome de Burnout é mais comum em pessoas exigentes, entusiasmadas com o trabalho, sem medo de aceitar novas responsabilidades.

No entanto, ela não acontece do dia para a noite. Pode levar anos para a pessoa desenvolver e atingir o pico do esgotamento. Geralmente pode ocorrer quando há excessiva competitividade no local de trabalho, pressão inadequada (acúmulos nas funções atribuídas, sobrecarga de tarefas, alterações no horário de trabalho) ou porque a atividade exercida é muito intensa, sujeita a riscos. Relações tensas entre colegas e chefias, assim como problemas pessoais, podem também potencializar o aparecimento desta doença.

A solução passa por estabelecer princípios para a saúde mental e física. Fazer pausas, ter tempo livre, respeitar os horários de sono, uma alimentação saudável e equilibrada, ter atividades físicas, são algumas das formas para evitar a exaustão e qualquer outra doença mental.Leia MaisVida pelas vidas Jugo suaveIntenção de oração da MI para julho A grama do vizinho é sempre mais verde

Alguns pacientes desenvolvem quadros de depressão e ansiedade, e precisam recorrer a medicamentos.

Por isso, é importante que a pessoa e os familiares estejam atentos aos sinais de alteração no humor. Não hesite em buscar ajuda quando sentir os limites da exaustão.

Eduardo Galindo é psicólogo clínico do Instituto Acolher (ITA), em São Paulo. WhatsApp (11) 9 9844-1195
Baixe as Revistas da Milícia da Imaculada e conheça os melhores conteúdos para a sua família!
Participe da Campanha Amigo de Deus! Uma homenagem para nosso querido Frei Sebastião. Faça a sua doação aqui.

Fonte: O Mílite

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Eduardo Galindo, em Psicologia

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.