Por Gabriel Lopes Em Colunistas

Semeadores da esperança

O que te move todos os dias?




Até quando vale a pena acreditar que no final seremos “felizes para sempre” em meio a tanto caos? Olhar a nossa volta tem sido cada vez mais doloroso. Quem tem empatia logo sente o amargor das manchetes e das vidas que escoam pelas valas sociais que nos rodeiam.

Alguém um dia disse que “a esperança é a última que morre”, eu não conheço o autor ou autora dessa frase, mas ela está cheia de verdade. A gente vive esperando que no final seremos “felizes para sempre”, mas por qual razão devemos gozar da felicidade somente no final da nossa história? Desde muito pequenos, crescemos numa cultura que nos leva a acreditar que o fim é glorioso, mas isso não pode nos impedir de enxergar que também há glória no dia a dia. Aliás, a própria vida já é um bom motivo para se alegrar.

A esperança torna o nosso fardo mais leve e nos motiva a continuar caminhando mesmo em meio a dor, ao sofrimento e a angústia. Quando a desesperança toma conta, a motivação se esgota e a caminhada para. Por isso, é traçar rotas que nos levem a um destino, mesmo que no meio do caminho apareçam algumas surpresas.

Quando sabemos aonde queremos chegar, por mais que nos percamos no meio da viagem, podemos recorrer a  rotas alternativas que nos conduzem ao nosso destino. Muitas vezes chegamos no lugar que queríamos e, então, percebemos que não era bem aquilo, daí recalculamos o trajeto e partimos para uma nova jornada. E tudo bem acontecer isso! A única morada eterna é o Céu, e na Terra somos meros andarilhos.Leia MaisO que será? Só chegam a algum lugar os que fazem o percurso Desacelere

Acreditar que o amanhã será ainda melhor é importante, mas não podemos esquecer que o hoje, foi o amanhã de ontem. Uma crença só faz sentido quando nos move, quando corre em nossas veias e nos leva a agir e colher frutos diariamente. Ter esperança é um dos sentimentos mais bonito que existe no mundo, pois é a nossa força motriz para correr atrás dos nossos objetivos, ela é o que conduz os nossos passos todos os dias para que façamos a nossa parte hoje. É a semente que no futuro virará fruto para ser colhida.

A fé antecede a esperança, pois ambas, não podemos tocar ou ver, mas nos fazem crer no bem. Crer que a alegria será uma realidade, que a vitória se tornará concreta, que a justiça abundará sobre o mundo, que os sonhadores serão atendidos, que o amor há de calar toda maldade e que a paz será o alento para corações atribulados.

Por mais complicado que seja o mundo real, temos que ser incansáveis semeadores da esperança, esmorecer de vez em quando é inevitável, mas não podemos ser vencidos pela falta de fé no amanhã. Temos que ser incentivadores, otimistas, idealistas, sonhadores, mas também compreensivos, já que para nós cristãos, todo ideal é legitimado pela vontade de Deus. Ele é a própria esperança, Ele é o motivo que nos leva a acreditar que sempre haverá algo bom, Ele é a redenção dos pecadores, Ele é a fonte de todas as virtudes, Ele é a calma da nossa tempestade.

A única resposta, a única regra e a única inspiração para quem quer vencer a desesperança tem nome: Deus.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Gabriel Lopes, em Colunistas

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.


Nova programação da MI: uma resposta ao que o mundo mais precisa hoje.



De segunda-feira a sábado, durante as 24 horas serão rezadas 4 coroas do Rosário, sendo, às 4h, os mistérios gozosos; às 11h, mistérios luminosos; às 15h, mistérios dolorosos; e às 22h, mistérios gloriosos.

Aos domingos, serão rezadas as coroas do rosário das 4h e 22h acrescidas, durante a tarde, das 13h às 18h, das 4 coroas do Rosário em sequência, alternadas com músicas.

Aos domingos, há a transmissão da Santa Missa às 7h, 10h30 e 18h. De segunda-feira a sábado, a celebração acontece a partir das 8h, seguida da bênção da água.