A Santa Missa

Vamos descobrir a importância de Cristo em nossa vida

Não é um homem que fala, mas Deus. Aqui temos Jesus que fala do Pai, Ele chega dizer que Ele e o Pai são um só

Escrito por Frei Sebastião Benito Quaglio

05 MAI 2022 - 09H53

PixaBay

O Frei Sebastião Benito Quaglio (OFMConv.) presidiu hoje a Santa Missa, no Santuário Imaculada Conceição e São Maximiliano Maria Kolbe, em São Bernardo do Campo, São Paulo, e comentou a Primeira Leitura (At 8, 26-40) e o Evangelho de hoje (Jo 6, 44-51).

Quando você se confronta com a Palavra de Deus, precisa ser muito humilde e pedir luz, porque ela é realmente um mistério. Não é um homem que fala, mas Deus. Aqui temos Jesus que fala do Pai, Ele chega dizer que Ele e o Pai são um só.

No Evangelho, São João escreve que Deus amou o mundo a ponto de enviar o seu Filho, sabemos portanto, que existe uma comunhão perfeita entre o Filho e o Pai, é por isso que Jesus se sente enviado pelo Pai, e estando em sintonia com Jesus, estamos realmente acolhidos pelo Pai, como é acolhido Jesus, é o mistério da Santíssima Trindade.

Na primeira leitura tivemos o episódio de Filipe, que foi transportado de uma forma misteriosa, e foi para ele algo que o iluminou e ajudou. Neste momento eu pensei muito sobre a nossa obra, o que nós estamos fazendo aqui? Somos como Filipe. O rádio, a Tv, o YouTube e o Facebook chegam na sua casa e você nem percebe. O Filipe, que somos nós, chega em sua casa, em sua vida e até no seu carro ou aqui, e é Deus que nos envia. Não somos nós que decidimos isso, somos instrumentos e quem nos acolhe, acolhe o próprio Deus e acaba acolhendo a sua própria felicidade. Pois Deus é luz e o sentido da sua vida.

Neste evangelho estamos vendo a importância de Jesus, Ele se define como o Pão, e o que é o Pão? Ele fala de comer, de sentir como o alimento se transforma em nós. O alimento somos nós transformados Nele, Jesus quer que sejamos transformados Nele. Fazemos parte Nele para que sejamos como Ele, filhos do mesmo pai. Isso significa que somos elevados à natureza divina em Jesus Cristo. Fazemos parte de um mundo novo, no qual a morte não terá nenhum poder sobre nós. Quem vive e crê em mim, nunca mais há de morrer, quem come meu corpo e bebe meu sangue terá a vida eterna, Eu ressuscitei no último dia. O último dia é o último dia deste mundo, e já no primeiro dia da eternidade estaremos vivos com Deus.

Às vezes a gente luta a vida inteira para ter um dinheirinho, uma casa, um terreno, um título. Quantos anos os jovens estudam? Calculem. Eu enumerei os meus anos, fiquei 16 anos para me formar na Itália com os frades, para vir ao Brasil falar algo para outros. O que nós aprendemos? A se deixar formar, abrir o coração, deixar que Deus trabalhe em nós, e aí vai acontecer algo maravilhoso, como aquele eunuco que foi embora outro homem, porque alguém chegou perto dele e o ajudou.

Agora é Jesus que nos transforma, portanto vamos ver a vida como uma preparação para a vida eterna, como eu já disse, existem muitos anos de estudo para exercer uma profissão, isso é importante. Mas a profissão não dá tudo, se a gente não tem fé, amor e esperança, tudo morre nela, é um ciclo fechado.

Mas na escola de Jesus o sentido é o próprio Cristo, que nos abre olhos novos para enxergar a humanidade, o ser humano ao seu lado, que nos ajuda a enxergar horizontes infinitos, que descobre a nossa dignidade, a nossa origem e o nosso destino. Jesus vive em nós, ao ponto de ser o nosso pão. Como Paulo disse, agora não sou eu quem vive, é Cristo que vive em mim. Parece que nós estamos fantasiando, mas não. Se a gente perde esta oportunidade, perdemos o sentido da vida. Podemos ter tudo, mas se não tivermos essa identificação em Cristo Jesus, não somos mais nada, o tempo nos arrasa, é uma tampa que se fecha sem futuro. No entanto, com Jesus, é a vida que floresce de novo, estaremos semelhantes a Deus, que coisa linda!

Portanto meus irmãos e minhas irmãs, vamos sentir a importância de Cristo em nossa vida, e vamos ser como Filipe, alguém que ajuda os outros a descobrir o mesmo.

Amém!

Transcrição: Mariana Costa


Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Frei Sebastião Benito Quaglio , em A Santa Missa

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.