Por Frei Sebastião Benito Quaglio Em A Santa Missa

O amor é a lei

Na Santa missa desta segunda-feira (06), Frei Sebastião medita sobre a principal lei de Deus para nós: a lei do amor




O Frei Sebastião Benito Quaglio (OFMConv.) presidiu hoje a Santa Missa, no Santuário Imaculada Conceição e São Maximiliano Maria Kolbe, em São Bernardo do Campo, São Paulo, e comentou a Primeira Leitura (Cl 1,24-2,3) e o Evangelho de hoje (Lc 6,6-11).

Frei Sebastião destaca, em sua homília, Padre Pio disse para “nunca pedir para que Deus tire seu sofrimento”. Para isso é necessário ter uma fé muito grande, uma identificação muito grande com Jesus Cristo.

Nossa meta é a chegada na vida eterna. Portanto, o sentido da nossa energia é esperança. Não a esperança de ganhar alguma coisa, mas esperar algo que, com certeza, vai chegar. Isso faz pensar, porque envolve toda nossa maneira de viver, procurando não deixar nada ofuscar a nossa meta. Nossa vida vai ter aquele sentido novo, que até o sofrimento não será mais para nos esmagar, mas sim para nos libertar.

O sábado significa dia do Senhor, mas, no caso, era uma obrigação, uma lei que prendia o homem. No entanto, o sábado seria para contemplar a ação criadora de Deus.

O sentido disso é que o homem está no centro do coração de Deus. O amor e a alegria deveriam ser a verdadeira lei, a verdadeira lei de Jesus. O homem não é escravo da lei. Deus é misericordioso e é Pai.

Jesus ficou muito triste com aquela agressividade e por eles se agarrarem mais aos ritos, esquecendo o centro de tudo isso que é Deus e o seu amor pela humanidade.

Quando nós lemos os mandamentos, vamos lembrar que Jesus resumiu tudo: “amar a Deus e amar o próximo”. Nisso se resume toda a lei dos profetas, portanto estamos aqui para meditar sobre a vida, sobre a nossa dignidade que é produto do amor de Deus. Somos filhos e Ele faz tudo para nós.

O grande dom da entrega de Cristo na cruz foi o máximo. O dom da Eucaristia supera tudo e não tem inteligência humana que consiga entender. É Deus que se entrega para nós e se toma o nosso alimento.

Somos aquilo que comemos, então nós somos transformados em Deus e isso que é importante. A lei do amor está acima de tudo e vamos olhar para as pessoas que precisam deste pão do amor e nós podemos mudar sim.

Transcrição Marta Romero

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Frei Sebastião Benito Quaglio , em A Santa Missa

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.