A Santa Missa

Jesus é a nossa força

Escrito por Frei Sebastião Benito Quaglio

07 ABR 2021 - 11H53

Pixabay jesus_cruz (Pixabay)
Pixabay
Pixabay


O Frei Sebastião Benito Quaglio (OFMConv) presidiu hoje a Santa Missa, no Santuário Imaculada Conceição e São Maximiliano Maria Kolbe, em São Bernardo do Campo, São Paulo, e comentou a Primeira Leitura (At 3,1-10) e o Evangelho de hoje (Lc 24.13-35).

Frei Sebastião destaca que a primeira leitura é muito bonita, um pobre é conduzido todos os dias à porta do templo para pedir esmola. Pedro e João chegaram e pediram para que o pobre paralítico olhasse para eles.

O pobre estava esperando a esmola, mas Pedro disse: “não temos ouro nem prata, mas o que temos vamos te dar, em nome de Jesus levanta e anda!” Pegando-o pela mão o levantou e então o paralítico, completamente curado, entrou no templo pulando e gritando de alegria. É o poder de Jesus!

O Evangelho de hoje nos revela uma das suas mais belas páginas, trata-se do encontro de Jesus com os dois discípulos de Emaús. A ideia da Ressurreição era totalmente descartada por todos. Ninguém, nem Madalena, Pedro, João e tampouco os dois discípulos podiam entender que Jesus teria ressuscitado. Estava totalmente fora de cogitação, portanto ninguém poderia inventar a Ressurreição de Jesus.

Esses discípulos estavam saindo de Jerusalém, no primeiro dia da semana, porque sábado, como sabemos ninguém podia trabalhar. Então eles voltaram para o povoado de Emaús, a onze quilometro a pé. Jesus aproximou-se andando e perguntou sobre o assunto estavam falando. Estranhando, disseram: você é o único que não sabe o que aconteceu durante esses dias em Jerusalém. Então eles contaram tudo para Jesus.

Os dois estavam tristes, abatidos e desanimados. O desânimo é muito perigoso, porque leva até a tragédias. Jesus tinha morrido, o sonho deles se tornou um fracasso. Jesus então, foi evangelizando e mostrando que as coisas tinham que acontecer, mas os dois estavam quase que cegos.

Quando chegaram em Emaús, Jesus ia seguindo em frente, mas eles disseram que era tarde e O convidaram a ficar com eles. Prepararam algo para comer e Jesus pegou o pão e quando o partiu se manifestou e os olhos deles viram quem era aquela pessoa.

Depois que eles viram Jesus, Ele desapareceu. Então, os discípulos voltaram correndo, com Deus no coração, não tinham mais medo, podia ser tarde, podia ser noite, e eles foram correndo.

Sem Jesus, meus irmãos, a coisa não anda. Quando percebemos que não estamos sozinhos tudo vai para frente e ainda quando percebemos estar com Jesus e Nossa Senhora, melhor ainda, as coisas correm.

Hoje vamos refazer toda a nossa energia, todas as nossas forças. Vamos nos levantar, não vamos implodir com as notícias. O mundo precisa de serenidade, de paz e de coragem.

Não vamos nos implodir com a pedra do desânimo, que nos esmaga a todos. Com Jesus nunca é tarde. O cansaço desaparece, a vida renasce, alegria volta, porque a motivação está em nós. Ele é a força!

Transcrição Marta Romero

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Frei Sebastião Benito Quaglio , em A Santa Missa

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.