A Santa Missa

Perdoar é amar

Na Santa Missa desta quinta-feira (11), Frei Sebastião medita sobre um dos maiores atos de amor que podemos ter: o perdão

Escrito por Frei Sebastião Benito Quaglio

11 AGO 2022 - 11H02 (Atualizada em 11 AGO 2022 - 15H24)

O Frei Sebastião Benito Quaglio (OFMConv.) presidiu hoje a Santa Missa, no Oratório Imaculada Conceição e São Maximiliano Maria Kolbe, em São Bernardo do Campo, São Paulo, e comentou a Primeira Leitura (Ez 12,1-12) e o Evangelho de hoje (Mt 18,21-19,1).

Em sua homília, Frei Sebastião destaca que a parábola do Evangelho de hoje nos faz meditar. O fundamento é que somos filhos do mesmo Pai, portanto somo irmãos. Se amamos esse Pai, sabemos qual é a Sua vontade, deve haver harmonia e fraternidade entre nós.

A única força que pode levar isso adiante é o amor. Mas, o que é o amor? É uma paixão? O amor é estar em sintonia com Deus e nos sentirmos, como Ele se sente em relação a cada um de nós.

São Francisco alicerçou o seu carisma na encarnação, que foi o gesto máximo do amor de Deus por nós. Pedro que era um homem muito explosivo, negou Jesus três vezes, antes do Seu calvário. Depois da ressurreição, foi cobrado por Jesus no seu amor por Ele. Por três vezes Jesus perguntou: “Pedro, me amas tu?” E Pedro, arrependido, respondeu a cada pergunta que realmente amava e aceitava Jesus como mestre e Senhor.

Então, o Filho de Deus entregou a Pedro a missão de cuidar do Seu rebanho. Somente o amor elimina os nossos erros. Deus nos deu tudo, a nossa grande tarefa é saber superar as dificuldades e amar. Leia MaisPreço do leite está 25% mais caroOEA e REPAM emitem declaração conjunta sobre a proteção à AmazôniaA conversão para o mundo cristãoAs águas de Piracaia

É uma lição que devemos aprender todos os dias. Perdoar não guardar mágoas e não devemos fingir que perdoamos, esquecendo ou deixando de lado. Não! Perdoar não é fuga. É um trabalho interior muito intenso. Perdoar é amar, uma mãe não aceita os erros do filho, mas ela o ama e faz de tudo para ajudá-lo.

Essa é a nossa evangelização e o que São Maximiliano nos ensina. Devemos falar de Deus de um tal modo que todos possam enxergar por meio dessa luz a própria missão, a própria entrega.

A Milícia da Imaculada não é uma fórmula mágica, é implantar de verdade o reino de Jesus no mundo sob a proteção e mediação da Imaculada. É um trabalho de conversão e não é somente conseguir um mílite e acolher a sua oferta. Mas é realmente é conscientizar que com esse gesto, o mílite faz parte dessa evangelização.

A doação material é a parte visível do trabalho porque muitos não conseguem sair de suas casas para ir até outras pessoas. Mas, nós podemos exercer essa dinâmica do amor que é a evangelização, sem cansar e sem criar problemas entre nós.

Não adianta exigir que os outros perdoem, se nós somos os primeiros a não perdoar. O Evangelho de hoje tem que nos despertar. Como São Maximiliano, o nosso olhar dever estar voltado sempre a novos horizontes e não parar nas dificuldades, que são muitas, mas estão aí para serem superadas.

Maximiliano tomou o seu caminho e deu o seu grande perdão aos nazistas, dando a sua própria vida no lugar de outro prisioneiro. Tenho certeza que aquele exemplo nunca foi esquecido. Perdoar é amar! Somos filhos do mesmo Pai e, portanto, somos irmãos e Nossa Senhora é a mãe de todos.

Transcrição Marta Romero

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Frei Sebastião Benito Quaglio , em A Santa Missa

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.