Por Espiritualidade Em Evangelho Dominical

03 de fevereiro – 4º Domingo do Tempo Comum

“Nenhum profeta é bem recebido em sua terra!” (Lc 4,21-30)

“Nenhum profeta é bem recebido em sua terra!” (Lc 4,21-30)


A Boa Nova, Hoje

Jesus então começou a falar-lhes: “Hoje se cumpriu esta passagem da Escritura que acabais de ouvir”. Todos se puseram a falar dele e, maravilhados das palavras cheias de graça que saíam de sua boca, diziam: “Não é este o filho de José?” Ele lhes disse: “Certamente me direis o provérbio: ‘Médico, cura-te a ti mesmo; tudo quanto ouvimos que fizeste em Cafarnaum, faze-o aqui em tua terra”. E continuou: “Eu vos asseguro: nenhum profeta é bem recebido em sua própria terra. Na verdade, eu vos digo: Muitas viúvas havia em Israel nos dias de Elias, quando o céu se fechou por três anos e seis meses e houve grande fome em todo o país. Mas Elias não foi enviado a nenhuma delas senão a uma viúva em Sarepta de Sidônia. E havia muitos leprosos em Israel no tempo do profeta Eliseu, mas nenhum deles foi curado senão Naamã, o sírio”. Quando ouviram isso, todos os que estavam na sinagoga ficaram furiosos. Levantaram-se, arrastaram-no para fora da cidade e o conduziram até o alto do monte onde estava construída a cidade, para dali o precipitarem. Mas, passando por meio deles, Jesus foi embora.

COMENTÁRIO

Aqui estamos novamente, para juntos meditarmos a Palavra de fé e de esperança do Santo Evangelho. As Palavras de Jesus causam admiração e, ao mesmo tempo estranheza, a ponto do povo querer linchá-lo. Este evangelho é uma sequência do domingo anterior.

Lembra-se? Jesus estava na sinagoga, onde fez uma leitura e, ao terminar de ler afirmou: “Hoje se cumpriu esta passagem da Escritura”. Seus amigos e conterrâneos elogiam a sabedoria e as palavras de Jesus. Estavam admirados com o que viam, até que... lembraram-se de algo muito importante:

Como puderam esquecer-se disso? Aquele que ali estava dizendo maravilhas era alguém que conheciam desde sua infância. Nascido em Nazaré, criado entre eles e filho de José, um humilde e pobre carpinteiro. Depois que se lembraram disso suas palavras perderam a beleza, perderam a credibilidade e Jesus foi rejeitado.

“Nenhum profeta é bem recebido em sua pátria”. Com essas palavras Jesus quer explicar o motivo pelo qual não faz milagres em Nazaré. Sabia que se fizesse milagres seria questionado e desprezado, pois para aquele povo, Ele era simplesmente o filho de um operário.

Ainda hoje é assim. Supervalorizamos o rico forasteiro desconhecido e taxamos de incompetentes os pobres da região. Se não estiver trajando terno e gravata, se não tiver título de doutor, se não usar colarinho branco, não acreditamos em suas palavras nem no seu poder de realização.

O fato de todos o conhecerem deveria ser um motivo a mais para acreditarem nele, mas não é o que acontece. Jesus então se recusa a fazer milagres para provar que é o Messias. Quando Jesus fala dos milagres operados em favor de estrangeiros e não dos judeus, o povo sente inveja e fica enfurecido.

Diante do povo enfurecido, Jesus tenta mostrar que o que lhes falta é fé, por isso não recebem milagres. O milagre, a graça de Deus não são coisas que compramos em lojas, em supermercados, em shoppings, elas são bênçãos que recebemos gratuitamente através de orações e de ações, através da fé.

Deus sempre reserva para seus filhos o melhor, tudo o que precisam e não o que querem. A graça, nem sempre se traduz em milagres pomposos, em curas impossíveis e principalmente, não pode ser entendida como estabilidade financeira e ausência de problemas.

Estão transformando a religião num grande e lucrativo comércio. Tem muita gente por ai vendendo graças e bênçãos. É bom lembrar que o dinheiro é capaz de comprar remédio, mas não a saúde; comprar seguro de vida, mas não a vida.

Não é com milagres estrondosos que o Reino de Deus se impõe, mas com amor, fraternidade, perdão e partilha. Jesus entregou-se gratuitamente. Não cobrou nenhum centavo para curar leprosos, paralíticos, cegos e, muito menos, pelo milagre da libertação da humanidade.

Essa é a missão do cristão. Gratuitamente deve promover a paz, a libertação e a reconciliação. Jesus não veio para um grupo seleto, veio para todos. O amor não tem preço, a única exigência de jesus, é que tenhamos o coração puro, simples e aberto.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0
Últimas Velas dos Mílites
Vejas as últimas velas que os Mílites acenderam em nosso portal online
  • Pela alma de Fernanda Young, força ao...

    Jonas

  • Pelas almas de Fernanda Young, Muito ...

    Jonas

  • mae passa na frente,afastai para long...

    edmar francisco de paula

  • Pela cura e libertação do meu filho L...

    Luciana

Receba todas as novidades

Parabéns, seu cadastro foi efetuado com sucesso!
Você deve receber nossas novidades em breve.

Ops, tivemos um possível erro no cadastro de seu e-mail.
Tente novamente por favor.

Tentar novamente

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Espiritualidade, em Evangelho Dominical

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.