Por Espiritualidade Em Evangelho Dominical

03 de fevereiro – 4º Domingo do Tempo Comum

“Nenhum profeta é bem recebido em sua terra!” (Lc 4,21-30)

“Nenhum profeta é bem recebido em sua terra!” (Lc 4,21-30)


A Boa Nova, Hoje

Jesus então começou a falar-lhes: “Hoje se cumpriu esta passagem da Escritura que acabais de ouvir”. Todos se puseram a falar dele e, maravilhados das palavras cheias de graça que saíam de sua boca, diziam: “Não é este o filho de José?” Ele lhes disse: “Certamente me direis o provérbio: ‘Médico, cura-te a ti mesmo; tudo quanto ouvimos que fizeste em Cafarnaum, faze-o aqui em tua terra”. E continuou: “Eu vos asseguro: nenhum profeta é bem recebido em sua própria terra. Na verdade, eu vos digo: Muitas viúvas havia em Israel nos dias de Elias, quando o céu se fechou por três anos e seis meses e houve grande fome em todo o país. Mas Elias não foi enviado a nenhuma delas senão a uma viúva em Sarepta de Sidônia. E havia muitos leprosos em Israel no tempo do profeta Eliseu, mas nenhum deles foi curado senão Naamã, o sírio”. Quando ouviram isso, todos os que estavam na sinagoga ficaram furiosos. Levantaram-se, arrastaram-no para fora da cidade e o conduziram até o alto do monte onde estava construída a cidade, para dali o precipitarem. Mas, passando por meio deles, Jesus foi embora.

COMENTÁRIO

Aqui estamos novamente, para juntos meditarmos a Palavra de fé e de esperança do Santo Evangelho. As Palavras de Jesus causam admiração e, ao mesmo tempo estranheza, a ponto do povo querer linchá-lo. Este evangelho é uma sequência do domingo anterior.

Lembra-se? Jesus estava na sinagoga, onde fez uma leitura e, ao terminar de ler afirmou: “Hoje se cumpriu esta passagem da Escritura”. Seus amigos e conterrâneos elogiam a sabedoria e as palavras de Jesus. Estavam admirados com o que viam, até que... lembraram-se de algo muito importante:

Como puderam esquecer-se disso? Aquele que ali estava dizendo maravilhas era alguém que conheciam desde sua infância. Nascido em Nazaré, criado entre eles e filho de José, um humilde e pobre carpinteiro. Depois que se lembraram disso suas palavras perderam a beleza, perderam a credibilidade e Jesus foi rejeitado.

“Nenhum profeta é bem recebido em sua pátria”. Com essas palavras Jesus quer explicar o motivo pelo qual não faz milagres em Nazaré. Sabia que se fizesse milagres seria questionado e desprezado, pois para aquele povo, Ele era simplesmente o filho de um operário.

Ainda hoje é assim. Supervalorizamos o rico forasteiro desconhecido e taxamos de incompetentes os pobres da região. Se não estiver trajando terno e gravata, se não tiver título de doutor, se não usar colarinho branco, não acreditamos em suas palavras nem no seu poder de realização.

O fato de todos o conhecerem deveria ser um motivo a mais para acreditarem nele, mas não é o que acontece. Jesus então se recusa a fazer milagres para provar que é o Messias. Quando Jesus fala dos milagres operados em favor de estrangeiros e não dos judeus, o povo sente inveja e fica enfurecido.

Diante do povo enfurecido, Jesus tenta mostrar que o que lhes falta é fé, por isso não recebem milagres. O milagre, a graça de Deus não são coisas que compramos em lojas, em supermercados, em shoppings, elas são bênçãos que recebemos gratuitamente através de orações e de ações, através da fé.

Deus sempre reserva para seus filhos o melhor, tudo o que precisam e não o que querem. A graça, nem sempre se traduz em milagres pomposos, em curas impossíveis e principalmente, não pode ser entendida como estabilidade financeira e ausência de problemas.

Estão transformando a religião num grande e lucrativo comércio. Tem muita gente por ai vendendo graças e bênçãos. É bom lembrar que o dinheiro é capaz de comprar remédio, mas não a saúde; comprar seguro de vida, mas não a vida.

Não é com milagres estrondosos que o Reino de Deus se impõe, mas com amor, fraternidade, perdão e partilha. Jesus entregou-se gratuitamente. Não cobrou nenhum centavo para curar leprosos, paralíticos, cegos e, muito menos, pelo milagre da libertação da humanidade.

Essa é a missão do cristão. Gratuitamente deve promover a paz, a libertação e a reconciliação. Jesus não veio para um grupo seleto, veio para todos. O amor não tem preço, a única exigência de jesus, é que tenhamos o coração puro, simples e aberto.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0
Últimas Velas dos Mílites
Vejas as últimas velas que os Mílites acenderam em nosso portal online
  • Senhor Jesus Cristo, perdão e miseric...

    maria silvana santos alcanjo pereira

  • PELAS ALMAS DE MEUS TIOS, TIAS E PRIM...

    JOSE KRINKELIS

  • Apresento -vos também Senhor Jesus Cr...

    maria silvana santos alcanjo pereira

  • Senhor nos unja de bênçãos , saúde, p...

    Alessandra Cristina

Receba todas as novidades

Parabéns, seu cadastro foi efetuado com sucesso!
Você deve receber nossas novidades em breve.

Ops, tivemos um possível erro no cadastro de seu e-mail.
Tente novamente por favor.

Tentar novamente

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Espiritualidade, em Evangelho Dominical

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.