Por Padre Antônio Sagrado Bogaz Em Nossa Senhora

Maria: Estrela do advento

Jesus Cristo é nossa luz, nosso Senhor, nosso Deus. Estamos diante da verdade mais elevada de nossa fé, pois cremos que Deus se fez presente na história pela encarnação de seu Filho Unigênito. Esta é nossa fé e todas as nossas devoções, nossos rituai




Maria é a estrela do advento, pois Cristo é sua luz e seu sol. Maria é a estrela que guia os peregrinos deste tempo litúrgico, na direção da grande luz que veio iluminar o universo. Maria nos encaminha para o grande sol de nossas vidas, o qual vem iluminar nossas vidas e a vida de todo universo.

Este é o tempo excepcional para nossa espiritualidade, pois somos todos convocados para viver nossa esperança e renascer nossa consagração a Deus, engrandecida pela presença divina em nossas vidas. O modelo desta presença é expressa pela experiência de Maria que foi tocada por Deus, deixou-se tocar por Ele e fez dele a razão de sua existência.

Maria é viva e presente no mistério do natal, na sua santidade, na sua dedicação, na sua força arrebatadora em nossos caminhos e na sua oferenda ao Deus que vai nascer.

Uma rainha-mãe e discípula

Quando pensamos nas famílias da tradição monárquica, a figura da rainha é uma figura muito presente. Ao lado do rei, normalmente seu esposo ou seu filho, a rainha acompanha seus passos, orienta suas decisões, intercede pelos pobres e defende os que precisam de seus préstimos. A figura de Maria é uma figura semelhante àquela da rainha. Está sempre ao lado do rei, seu Filho Jesus, e participa de sua vida. Obedece seus ensinamentos, como mãe e como discípula, ao mesmo tempo que intercede em favor de seus discípulos e de todo povo.

A rainha não tem poder, nenhum poder que emane dela mesmo, mas tem um poder que emana de sua influência e de sua mediação diante de seu rei. Jesus é o rei do universo, é o rei de toda humanidade e mesmo é o rei de sua mãe. Parece um pouco desconcertante, mas é esta a postura da rainha diante do rei. Mas o rei lhe deve amor, devoção e afeição. Maria segue seu Filho. Uma rainha humilde e fiel, uma rainha medianeira e bondosa. Sem trejeitos de monarquia e de cortes luxuosas, pois enfrenta os caminhos longínquos da Galiléia para servir sua prima Isabel. Todos nós conhecemos esta bonita história. Uma rainha de sandálias nos pés e lenço na cabeça, diferente das rainhas com sapatos bordados de ouro e cobertas de pedras preciosas, representando sua vaidade e seu vazio espiritual.

Escrito por
Padre Antônio Bogaz (Divulgação)
Padre Antônio Sagrado Bogaz

Pároco da Paróquia Nossa Senhora da Saúde, em Rio Claro-SP, é formado em filosofia, pedagogia e teologia. Possui doutorado em Filosofia pela USP - Universidade de São Paulo, em Liturgia e Sacramentos pelo Pontifício Instituto de Liturgia de Roma, e em Teologia Sistemática – Cristologia pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma. É artista plástico, cineasta, professor universitário e autor de diversos livros sobre Patrística, Liturgia, Ano Litúrgico e Culto dos Santos.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Espiritualidade, em Nossa Senhora

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.