A Santa Missa

O dom do Espírito Santo

Na Santa Missa desta quarta-feira (25), Frei Diogo medita sobre o dom do Espírito Santo em nossas vidas

Escrito por Frei Diogo Luís Fuitem

25 MAI 2022 - 12H06

O Frei Diogo Luís Fuitem (OFMConv) presidiu hoje a Santa Missa, no Oratório Imaculada Conceição e São Maximiliano Maria Kolbe, em São Bernardo do Campo, São Paulo, e comentou a Primeira Leitura (At 17,15.22) e o Evangelho de hoje (Jo 16,12-15).

Frei Diogo destaca que a Palavra de Deus nos anima na caminhada, como animou os Seus apóstolos naquele grande discurso na última ceia com Seus amigos. Animava porque Ele já estava prometendo a força do alto.

Falando do Espírito Santo, Jesus estava entregando o Seu projeto de salvação do mundo aos Seus apóstolos, para que o projeto de Deus seja conhecido no mundo inteiro.

Na primeira leitura, já na Europa trabalhando pela evangelização, Paulo e Silas passaram por Felipos e agora chegam em Atenas na Grécia, que era cidade referência na antiguidade. Referência da vida democrática, era o centro da cultura da filosofia que se cultivava naquela cidade.

São Paulo impulsionado pelo Espírito Santo, foi onde o povo estava e fez sua pregação, dirigindo-se a imagem do “Deus Desconhecido”, fez alusão a essa imagem. Para anunciar quem é esse Deus desconhecido, referindo-se a Jesus.

Essa proclamação não teve muito apoio, pois aquele povo não aceitava a Ressurreição de Jesus. Mas essa pregação teve algum efeito, pois ali já surgiram alguns cristãos.

Ali a cultura cristã se depara com a cultura grega, é um passo importante dentro do cristianismo. O Espírito Santo como suscitou Paulo para o cristianismo, ainda hoje é uma grande força na evangelização.

Hoje nós lembramos de maneira particular o nascimento do São Padre Pio de Pietrelcina. O Frei Sebastião antes de vir para o Brasil recebeu uma benção do Padre Pio, que também abençoou a Milícia da Imaculada.

Quem foi Padre Pio? Ele foi um franciscano capuccino notável e muito conhecido por um fenômeno que ele recebeu. Um homem místico que depois de muita contemplação da Cruz, recebeu os estigmas no seu corpo em setembro de 1918. Foram as marcas da paixão de Cristo em suas mãos, nos pés e no peito, ele carregou essas chagas, durante cinquenta e um anos.

Foi um estigmatizado e também tinha um dom especial no confessionário e se dedicava muito à confissão, com suas palavras tocava as pessoas e se tornou um apóstolo do confessionário.

Deus nos mandou São Padro Pio para ter alguém que realmente chamasse as pessoas à conversão. Que Padre Pio nos abençoe que ele sempre interceda por nós e pela obra da Milícia da Imaculada. Amém.

Transcrição Marta Romero

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Frei Diogo Luís Fuitem , em A Santa Missa

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.