Por Padre Clemilson Teodoro Em Nossa Senhora

A devoção a Nossa Senhora chega até nós

Qual o sentido da devoção mariana na América Latina?


A Consagração a Nossa Senhora será transmitida, ao vivo pelos veículos de inspiração católica


Na América Latina, a devoção a Maria foi muito bem acolhida. Apesar do caráter de conquista que acompanhou a evangelização, a presença mariana encontrou um terreno fértil entre os índios. As religiões indígenas pré-colombianas adoravam a deusa-mãe Pacha Mama, a terra virgem que nunca é manchada. Seja a Pacha Mama na América do Sul que a Tonantzin dos Astecas, apresentam o aspecto materno.

Padre João Haroldo, numa acurada pesquisa sobre a presença de Maria na América Latina antes e depois do Concílio Vaticano II, revela como a figura de Maria marcou a vida e a devoção de todos os povos do novo mundo conquistado por espanhóis e portugueses. “No ano 1515, o grande monarca da cristandade, Carlos V, ordenou que se colocasse em todos os templos da América, cruzeiros e imagens de Nossa Senhora... e onde os índios trabalhavam, se ainda não houvesse uma capela, fosse criado um espaço sagrado, em que se ouvisse de manhã e de noite o louvor da Virgem Senhora pelo canto e a oração”.

A devoção mariana que chegou até nós entrou na vida dos nossos povos. Depois de uma resistência inicial à conquista, quando os índios estraçalhavam os estandartes dos missionários com a “conquistadora”, Nossa Senhora assumiu um lugar especial. Pela sua solicitude materna, Ela faz parte da nossa vida e o mês de maio foi consagrado a Ela. É um espetáculo belíssimo de fé e de amor oferecido a Nossa Senhora, são homenagens carregadas de amor filial, que sobem do coração dos fiéis nas formas mais simples. As orações, os louvores e as festas de coroação da Virgem Maria ao longo do mês de maio, em altares coloridos com flores e luzes, crianças vestidas de anjos homenageando Nossa Senhora, colocando a palma, o rosário e uma coroa de rosas em sua imagem são características tradicionais.

Escrito por
Padre Clemilson Teodoro
Padre Clemilson Teodoro

Presbítero da Diocese de Santo André, em São Paulo. Padre Clemilson nasceu em Caratinga, Minas Gerais, e entrou no seminário do Instituto dos Missionários da Imaculada Padre Kolbe, em Santo André, no dia 23 de março de 1998. Atualmente colabora com a Obra escrevendo matérias de formação para o Portal da MI.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Espiritualidade, em Nossa Senhora

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.