Por Vladimir Ribeiro Em Noticias

Com isolamento social, famílias sentem impacto de alta dos alimentos

Supermercados, por outro lado, comemoram aumento nas vendas

Divulgação
Divulgação
Alta dos preços foi puxada por itens como a carne bovina, leite, açúcar e arroz


A dona de casa Marina Ricardo, de Brasília, gastava cerca de R$ 800 em compras no supermercado por mês, antes da pandemia. Com a chegada do coronavírus, esse cenário mudou para pior.

Com toda família isolada em casa, a conta do mercado aumentou. Além de perceber que estava comprando mais itens, Marina também notou uma alta no preço dos alimentos.

Porém, não foi apenas a dona de casa que sentiu no bolso a alta dos preços no mercado. A conta ficou mais cara em todo o país. No acumulado dos 12 meses de 2020, o valor da cesta composta pelos 35 produtos mais vendidos subiu 21,57%. Essa alta foi puxada por itens como a carne bovina, leite, açúcar e arroz.

Má notícia para os consumidores, mas motivo de comemoração para os empresários do setor, que registraram alta real de 9,36%, de janeiro a dezembro de 2020.

A Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS), acredita que por conta das medidas de isolamento social, os brasileiros mudaram seus hábitos, aumentando o consumo dentro de casa. Além disso, os estímulos concedidos pelo governo federal, como o auxílio emergencial, injetaram bilhões na economia, e boa parte desse montante foi gasto no setor.

Todas as regiões brasileiras registraram alta no preço da cesta no mês de dezembro, sendo que o no Sul houve a maior variação, passando de cerca de R$ 664 para quase R$ 692.

Fonte: Radioagência Nacional

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto