Por Alex Souza Em Para Viver Bem

Exercício e fé

A fé é, primeiramente, uma adesão pessoal do homem a Deus




Onde há vida, há simultaneamente movimento. Ao olhar para tudo que existe no universo, você pode encontrá-lo. Ao observar a natureza, ele está sempre presente. 
Quando se fala em movimento, é importante entender o que a física menciona, sendo ele a variação da posição espacial de um objeto na linha do tempo, e as ciências que o estudam é a Mecânica e a Educação Física.

O movimento é definido por Aristóteles como a realização do que está em potência. Essa teoria diz que o movimento é a atualização de algo que já se encontrava em um ente, enquanto potencial. Se o ser é não apenas ato, mas também potência, as coisas podem sofrer modificações sem deixar de ser (1).

Para Piaget, o cerne de toda construção intelectual é a ação (2), ou seja, o movimento de agir é fundamental até mesmo para a inteligência.

Sabendo que o movimento está em tudo e que à ação é primordial, entraremos no contexto do exercício, que é justamente a sistematização e organização do movimento, com eficiência e segurança em função dos objetivos pretendidos e pode ser adaptado para as condições individuais (5), onde há atribuição de sentido, significado, significância e ação específica.

Quando se fala em sentido e significado, entra em campo a fé, que é um ponto de vista de confiança. É também uma amálgama de crenças, tradições culturais e confiança emocional no universo. É um direito inato, e até mesmo os ateus podem tê-la (3).

A fé é, primeiramente, uma adesão pessoal do homem a Deus. É, ao mesmo tempo, e inseparavelmente, o assentimento livre a toda a verdade que Deus revelou (4).

Ela envolve a confiança básica de que o mundo tem sentido e a bondade existe. Em hebreu e em latim, a fé não é um estado, mas um verbo ativo que pode ser manifestada de três maneiras: por símbolos culturais, formação do senso de comunidade e percepção pessoal de iluminação interior (3).

Exercício e fé – o primeiro conceito movimenta o segundo e o faz progredir. O segundo dá sentido ao primeiro e o faz melhor. Duas palavras que se complementam e, por meio de sua união, transformam o mundo em um lugar ativo, bom, belo e saudável, além de íntegro, alegre, esperançoso, interessante e iluminado.

Quer encontrar a melhor versão dentro de você? Deseja ser o protagonista de sua história? Então pare de querer e comece a ser. Seja uma pessoa em movimento e seja uma pessoa de fé nesse movimento, que deve ter sentido e inspiração, carregado de entusiasmo e, principalmente, amor. Faça uso dos três crivos de Sócrates para chegar lá: Isso é bom? Isso é verdade? Isso é útil?

Referências

1. SANTOS, M. E. B. C. A Relação entre Ato e Potência na Metafísica de Aristóteles. Revista Húmus, 2013.

2. PIAGET, J. O Desenvolvimento das Quantidades Físicas na Criança. Zahar, 1971.

3. VAILLANT, G. E. Fé: evidências científicas. Manole, 2010.

4. CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA. Edição Típica Vaticana. Edições Loyola, 2000.

5. SANTAREM, J. M. Musculação para todas as idades: comece a praticar antes que seu médico recomende. Manole, 2012.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Alex Souza, em Para Viver Bem

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.