Por Frei Sebastião Benito Quaglio Em A Santa Missa

Jesus chora por nós

PixaBay
PixaBay


O Frei Sebastião Benito Quaglio (OFMConv.) presidiu a Santa Missa, no Santuário Imaculada Conceição e São Maximiliano Maria Kolbe, em São Bernardo do Campo, em São Paulo, e comentou a Primeira Leitura (Ap 5,1-10) e o Evangelho de hoje (Lc 19,41-44).

Jesus chora! Porque Ele viu a destruição de Jerusalém. Lembro a vocês que o mal não é castigo de Deus, mas sim é consequência daquilo que os homens fazem. Nunca esqueçam isso.

Às vezes na Bíblia dá uma sensação que Deus castiga, por uma interpretação humana entendemos assim, mas no fundo Deus nunca castiga. Devemos observar as consequências que levam as pessoas ao pecado. Deus não é culpado, por exemplo, se nós destruímos a natureza, isso interfere na chuva, na temperatura, tudo isso é conseqüência de atitudes humanas.

O importante é saber que Deus não é indiferente. Quando uma pessoa chora. Pode ser de alegria ou por alguma coisa que a machuca por dentro, exterioriza um sentimento. A sensibilidade de Jesus nos mostra o amor humano de Deus para conosco.

Deus se interessa e compartilha conosco os erros, os pecados. Jesus subiu aos céus e foi embora? Não! A Eucaristia é a permanência de Jesus entre nós. Cristo não se distancia de nós, nem da nossa vida e nem da história do mundo.

Jesus está sempre presente com a sua mensagem que é básica: “Amai-vos como eu amei vocês, esse é o meu mandamento.” Jesus deve ser sempre o ponto de referência do nosso jeito de agir. Hoje vamos sentir que na sensibilidade Dele, Jesus nunca nos deixa e não fica longe nossa vida.


Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Frei Sebastião Benito Quaglio , em A Santa Missa

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.