Psicologia

Psicoterapia e pandemia

Como voltar a vivenciar positivamente nossos sentimentos e relações diante do estresse, ansiedade e desamparo?

Eduardo Galindo (Divulgação)

Escrito por Eduardo Galindo

16 MAR 2021 - 00H00 (Atualizada em 18 MAR 2021 - 12H38)

Divulgação psicoterapia (Divulgação)

O período de pandemia mexeu com os sentimentos, as relações, os sonhos e a projeção de vida de milhares de pessoas. A psicoterapia é a melhor indicação nesse momento porque é baseada no conhecimento científico, mediado por um profissional especializado, e visa o bem-estar e o equilíbrio emocional. O objetivo é favorecer a capacidade de autonomia da pessoa para lidar com as situações e desafios da vida.

Fazer terapia é muito mais do que falar com alguém sobre problemas ou dificuldades (para isto recorremos aos amigos). A psicoterapia é uma relação terapêutica entre um profissional e um cliente, que tem por base princípios e técnicas da Psicologia. Isto marca a diferença dos relacionamentos com amigos ou familiares. O psicoterapeuta poderá ajudar a pessoa a descobrir as suas necessidades, a aceitar as suas emoções, mesmo aquelas que evita, em vez de se deixar dominar por elas, tornando-se, assim, o autor da sua história.

As pessoas procuram apoio psicológico por muitos motivos, desde a escuta atenta (por exemplo, por dúvidas sobre tomadas de decisão), questões de relacionamento amoroso ou de trabalho, e até o tratamento de transtornos (por exemplo, ansiedade, depressão, fobias).

Geralmente as mulheres procuram com mais espontaneidade o tratamento. Os homens, muitas vezes, são encaminhados por suas companheiras e por médicos, mas quando aderem ao acompanhamento vivenciam esse processo com naturalidade.

O psicólogo, pela postura de não julgamento, empatia e respeito, procura validar o que o cliente sente e, ajudando-o a integrar as novas possibilidades que se vão apresentando, transmite a segurança necessária para a compreensão da própria história. O papel do terapeuta é o de ajudar a refletir e desafiar, em certos momentos, sempre respeitando o ritmo do paciente e transmitindo-lhe responsabilidade pelas suas escolhas.

A terapia é indicada para todas as faixas etárias. É importante quando amigos e familiares recomendam para procurar ajuda, pois esse é um precioso sinal de que eles já não conseguem escutar de maneira adequada.

Habitualmente as sessões de psicoterapia duram aproximadamente 50 minutos. A frequência das sessões e a duração do acompanhamento dependem das necessidades particulares e dos objetivos de cada pessoa, e deverão ser trabalhados com o terapeuta.

Escrito por
Eduardo Galindo (Divulgação)
Eduardo Galindo

Psicólogo Clínico, especialista em Psicoterapia Breve. Suas áreas de atuação são psicoterapia de adultos, grupos e casal, workshop, e assessorias de grupos e palestras.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por MI, em Psicologia

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.