Por Túlia Savela Em A Santa Missa Atualizada em 04 JUN 2020 - 14H50

Deus ama manifestar a Sua glória em você!

"Deus precisa da nossa glória? Claro que não. Deus precisa aumentar a glória dele? Claro que não." Na festa dos mártires de Uganda, Frei Sebastião comenta sobre a ressurreição dos mortos (Mc 12,18-27).


Na memória dos mártires de Uganda, Frei Sebastião Benito Quaglio, OFM Conv., afirma que Deus ama manifestar a Sua glória em nós, em você. "Deus precisa da nossa glória? Claro que não. Deus precisa aumentar a glória dele? Claro que não. Mas Ele ama manifestar a Sua glória em nós e ver a nossa resposta. Isso Deus quer sim. E nós queremos realmente sentir esta vida dentro de nós. Não vamos nos amarrar a tantas coisas que poderiam chegar de fora, e, depois, vamos lembrar que nós somos filhos de Deus, feitos à imagem e semelhança dele. Nós somos a glória de Deus. Deus não quer nos perder e, por isso, é que o Cristo veio", ensinou Frei Sebastião, na Santa Missa desta Quarta-feira da Nona Semana do Tempo Comum, 3 de junho de 2020, no Santuário da MI, em São Bernardo do Campo - SP.

"O que é bonito na terra não vai acabar no céu"

O frade, reitor do santuário e guardião do carisma da Milícia da Imaculada, explicou o que é o céu e convidou a não banalizar Deus. Pediu que não permitamos que tantos pensamentos ruins poluam nossas mentes. "Você é feito para a alegria e a felicidade", concluiu.

Ele chamou os fiéis a colocar junto ao pão e ao vinho, que foram consagrados, a vida de cada um, a fé, a história e os sonhos. “Coloque aqui também as suas derrotas. A única coisa que eu acredito é que Deus não vai ter memória dos pecados que Ele perdoa, porque Deus vê sempre o que existe. Se Ele perdoa, não existe mais. Então, você não vai carregar teus pecados perdoados para a outra vida. Confia em Deus. Você é filho, você é filha dele", recordou.

Acompanhe abaixo a homilia completa bem como as orações finais, entre elas a prece a Santo Antônio, para que interceda por nós e nos ajude a viver a vida cristã como ele viveu. A edição de áudio é de Paulo Cardoso. Para ver a Santa Missa, acesse as nossas redes sociais: Youtube e Facebook. A Missa começa aos 19 minutos iniciais, aproximadamente.

Homilia



Tenho certeza que muitos gostariam de fazer perguntas sobre este Evangelho. Vou tentar lhes dar algumas explicações. Como sacerdote, as minhas primeiras Missas foram no cemitério. Era o único lugar onde tinha uma Capelinha. E aí passei tantos anos vendo, todos os dias, enterros; familiares, pais, mães chorando sobre os filhos; filhos sobre os pais. E a gente vai amadurecendo.... Então, a conclusão é aquela que a Igreja nos ensina sempre. Nós temos algumas referências bíblicas que são muito importantes.

Eu sempre vejo Jesus na cruz que fala àquele homem que estava ao lado dele. Disse: “Senhor, lembra-te de mim quando estiveres no teu reino.” O que respondeu Jesus? “Hoje mesmo você - você! Preste bem atenção: não falou o teu espírito, - você estará comigo no Paraíso”. Que bonito isso.

Muito bem. E Jesus disse também uma coisa muito bonita: “Se a semente do grão de trigo não cair no chão e não morrer, ela não brota. Vocês estão percebendo uma coisa: toda semente brota diferente, mas cada semente é daquela qualidade. De uma semente de rosa não nasce lírio, mas ela mantém a sua natureza, a sua personalidade.

A morte apaga tudo isso? Não. A vida não é tirada, é transformada. “Desfeito o nosso corpo mortal, nos é dado um corpo imperecível. O que a mente humana nunca imaginou, que olho humano nunca viu, o que ouvido humano nunca escutou, isso tudo Deus preparou para os Seus filhos. Seremos semelhantes a Deus, O veremos face a face como Ele é”.

Então, o que é que a morte? É o nascimento. Eu sempre gostei muito do final deste Evangelho. Quanto à ressurreição dos mortos, você não entende nada, porque Deus não é Deus dos mortos, é Deus dos vivos, o Deus de Abraão, o Deus de Isaac, o Deus de Jacó. É chamado assim. Então, Jacó está vivo, Abraão está vivo. Isso é que é importante. A destruição do corpo é outra coisa: a ressurreição final.

As pessoas quando morrem nascem de novo imediatamente. Elas se abrem como uma flor, mas continuam com as suas raízes na terra. Não se apagam as suas memórias. Se você é mãe, você será mãe. Se você é filho, será filho. E se você casou com ela, agora o que Jesus quer dizer? No céu, nesse mundo, não vai precisar de procriação, não vai precisar daquela união física, daquela união emocional, psicológica, que é necessária na terra. Portanto, não é que você não vai reconhecer aquele com quem você viveu. Não vai é ser mais amarrado a ninguém. Você terá em você uma liberdade plena.

Hoje a gente chama sempre Jesus de o filho de Maria: Maria, mãe de Jesus. A gente, ainda, todos os dias, reza, no cânon da missa, “São José, esposo de Maria”. O que significa isso? Que eles vivem juntos, como antes? Não. Mas significa que realmente eles souberam levar juntos uma missão. Isso é muito bonito, e isso continua, não numa forma física, porque vamos precisar comer comida no céu? Claro que não. Então, muitas coisas que, na terra, são necessárias para viver, progredir, no céu, já não serão mais.

E quando a gente fala “no céu” é este mundo de Deus, porque o céu não é um lugar espacial. É o jeito de estar com Deus. Portanto, ninguém vai perder a sua memória. Vai encontrar as pessoas que você amou de verdade? Claro que sim. E elas vão completar a tua alegria no céu. É tão bonito quando os dois um dia se encontraram no céu e souberam lutar juntos na terra pela fé. Você acha que lá no céu isso não vai acontecer? Claro que sim.

O que significa “serão como anjos”? Significa que teremos esta liberdade, esta glória, não seremos mais dependentes do sono, não haverá cansaço. Seremos como anjos, perfeitos. A coisa mais dolorosa é perder a memória, não é? Agora, perderemos a memória daquilo que nos fez sofrer. Isso sim. O sentido é como quando Jesus fala de uma mãe que tem um filho e durante o parto ela sofre demais, mas, quando tem o filho no colo, esquece. Mas não esquece o filho, entenderam? O fruto do sofrimento ela não esquece.

Portanto, vamos lembrar dessas palavras. Não tem amnésia no céu. Mas tem realmente uma gratidão imensa para com Deus que nos perdoou, que soube nos tirar do pecado, de tantas coisas erradas. Mas haverá uma lembrança, não tanto de opressão, de termos sido oprimidos, mas de gratidão. É como uma criança que poderia se lembrar de tudo aquilo que a mãe fez por ela. Certamente esta lembrança seria de uma gratidão incrível. Não tanto se amarrar à lembrança como tal, mas por aquilo que ela provoca na gente: gratidão. O que nós temos por Deus, meus irmãos? Gratidão imensa.

Deus precisa da nossa glória? Claro que não. Deus precisa aumentar a glória dele? Claro que não. Mas Ele ama manifestar a Sua glória em nós e ver a nossa resposta. Isso Deus quer sim. E nós queremos realmente sentir esta vida dentro de nós. Não vamos nos amarrar a tantas coisas que poderiam chegar de fora, e, depois, vamos lembrar que nós somos filhos de Deus, feitos à imagem e semelhança dele. Nós somos a glória de Deus. Deus não quer nos perder e, por isso, que o Cristo veio. Esta memória que nunca vamos apagar.

E nós que estamos aqui na terra, lutando um pelo outro, um dia, teremos esta alegria de ver tantos irmãos e irmãs que nos esperam com alegria. O bem nunca vai se esquecer. Serão como pérolas que vão decorar a nossa vida. Vamos em frente! Não vamos banalizar Deus, viu?

Deus vai nos compartilhar da Sua vida. Seremos semelhantes a Ele, o veremos face a face como Ele é. Você, mãe, você perdeu o teu filho? Você vai encontrá-lo, você vai reconhecê-lo, é claro. E ele te espera. Casais que souberam viver juntos no amor, na fé, lutaram até o fim, souberam enfrentar a vida, vão se conhecer? Claro. Não vão ser marido e mulher como aqui na terra, porque aqui é outro jeito de relacionamento. Mas a gratidão e a alegria de terem vivido juntos, terem lutado juntos, isso não vai se apagar.

Portanto, meus irmãos, o que é bonito na terra não vai acabar no céu, não. É a ressurreição. Quando uma semente de rosa brota não é uma semente igual, mas uma flor. Toda a natureza - olha ao teu redor - ela é explosão da vida, daquilo que foi semeado, mas nenhuma planta deixa de ser aquilo que a semente dela possui. Portanto, você vai ressuscitar. O que é a ressurreição? Vai entrar plenamente na dimensão divina, está certo? Não deixe que outras coisas por aí entrem na tua mente, na tua cabeça. Você é feito para a alegria, para a felicidade. Amém!

Orações após a comunhão


Jesus, mesmo longe fisicamente, estamos com você. Olhando para Ti, Jesus. E você, para nós. Porque nós precisamos da tua força, da tua luz. Dai-nos o Espírito Santo, Jesus, para que nos ilumine sobre o sentido da nossa vida, nos ilumine sobre o rumo da nossa existência, deixando a meta final não como uma parada, mas como o começo de uma vida nova, onde não haverá nada nos perturbando, mas haverá sempre a força do amor, da caridade, que nunca nos deixa desligado dos irmãos que sofrem, dos que lutam, como você, Jesus.

Eu queria te perguntar: você está sentindo, Jesus, o nosso sofrimento? Você está impassível? E por quê, Jesus? Você, em diversas ocasiões, mostrou que estava sofrendo, chorando, derramando sangue... Sim, porque o amor, sabemos, Jesus, não dispensa a dor da falta de amor. Você está sofrendo ainda porque você disse “eu estava com fome, com sede, estava preso”, mas é um sofrimento que quer a alegria de todos, a glória de todos.

É um sofrimento do amor, porque o amor, quando ama de verdade, ele sabe o valor do sofrimento. Ensina-nos, Jesus, a pensar na vida eterna não como uma fuga, mas como cumprimento do sentido dos sentimentos.

Que possamos entrar em sintonia contigo, Jesus, vendo os irmãos e irmãs que ainda precisam de solidariedade. Estamos juntos.

E, agora, aumenta em nós a nossa fé, nosso sentimento de amor, de solidariedade e ajuda nossos irmãos que são frágeis, que não entendem as coisas. E ajuda-os também fisicamente, aliviando o sofrimento deles, com a cura, com a serenidade interior.

Virgem Santa, somos teus filhos. Cuida de nós sempre, dia e noite, mesmo quando nós não estamos pensando em ti. Cuida de nós. Por isso, vai a nossa confiança:

(Oração da consagração a Nossa Senhora e Ave-Maria)

No domingo próximo, é a festa da Santíssima Trindade. É o mistério da nossa fé, central, a festa mais importante. E a Santíssima Trindade é o nosso Deus-família Pai e Filho e Espírito Santo que criou o universo, que criou a nossa vida. E o lugar predileto da Santíssima Trindade é o nosso coração, porque somos feitos à imagem e semelhança dele, dela.

E também dia 13 é festa de Santo Antônio. Desde já pedimos a este grande santo que nos comunique a sua experiência, sua coragem de viver a vida do jeito que ele viveu.

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo, como era no princípio, agora e sempre. Amém. Santo Antônio, rogai por nós!

(oração final do missal, a São Carlos Lwanga, e bênção final, seguidas do canto de Christus Vincit e Salve Regina)

Nós te adoramos, Santíssimo Senhor Jesus Cristo, presente aqui, neste tabernáculo e em todos os tabernáculos do mundo, e te agradecemos, pois, pela tua Santa Cruz remiste o mundo!

Salve Maria Imaculada!

Salve Maria Imaculada!

Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

Para sempre seja louvado!

Leia MaisReavivar o dom da féComo cuidar da saúde das crianças na quarentenaQuando o sol nascerA questão da ressurreiçãoCoração ImaculadoAcompanhe a Santa Missa pelas redes sociais da MI, às 8h15 e às 20h, de segunda-feira a sábado, e às 7h, 10h30 e 18h aos domingos, no horário de Brasília. Em Campo Grande, são às 7h15, 19h, 6h, 9h30 e 17h, respectivamente! Curta, comente e compartilhe!

Você pode ouvir também pelo nosso aplicativo Milícia da Imaculada ou aqui mesmo em nosso portal, em rádio on-line.


Ajude-nos a ir mais longe na evangelização: torne-se Mílite! Você pode também fazer sua doação on-line aqui em nosso portal.

Baixe também as nossas revistas O Mílite, Jovem Mílite e O Pequeno Mílite.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Túlia Savela, em A Santa Missa

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.