Por Frei Sebastião Benito Quaglio Em A Santa Missa

O amor é a marca da reconciliação

Divulgação
Divulgação


O Frei Sebastião Benito Quaglio (OFMConv) presidiu hoje a Santa Missa, no Santuário Imaculada Conceição e São Maximiliano Maria Kolbe, em São Bernardo do Campo, São Paulo, e comentou a Primeira Leitura (2Cor 6,1-10) e o Evangelho de hoje (Mt 5,38-42).

Frei Sebastião nos lembra que somos feitos à imagem e semelhança de Deus, somos estruturados com o mistério de Deus, Pai, Filho e Espírito Santo, que é o mistério da Santíssima Trindade. Este é nosso ponto de referência. A vida trinitária é uma comunhão perfeita, uma sintonia perfeita.

Deus é Amor, então nós somos filhos e temos que lutar por esse sentimento, para reconciliação e deixar de lado a vingança, o ódio e tudo aquilo que nos divide e nos separa. Temos que viver isso de uma forma bem concreta. Jesus disse que se alguém lhe der uma tapa no lado direito deve oferecer lado esquerdo, mas Ele mostrou um jeito muito especial de fazer isso.

Aconteceu com o próprio Jesus, quando estava sendo interrogado pelo Sumo Sacerdote, dando-lhe uma resposta a qual ele não gostou, o guarda que estava ao Seu lado, deu-lhe um tapa muito forte. Então, Jesus deveria ter oferecido o outro lado da face, mas não foi bem isso que Ele fez. Jesus perguntou ao guarda: Por que você me bata? Se eu errei me diga!

Bastaram essas palavras, certamente aquele homem, deve ter mudado o seu jeito de agir com outros. Notaram que Jesus não se vingou, mas apontou ao homem o caminho certo, do raciocínio e da justiça.

A atitude de Jesus deixou uma marca no homem. Uma resposta que o ajudou com certeza. Dar o outro lado do rosto não significa simplesmente uma passividade, significa reconstruir com a luta, a harmonia. Isso não é fácil! Existem conflitos entre nós, familiares, religiosos, comunitários. Maneiras diferentes de ver as coisas, levam a discussões e divergências, que muitas vezes acabam em tragédias e até mortes.

Jesus nos ensina a perceber que no centro de tudo não sou eu, somos nós. Devemos agir com diálogo e paz sempre, isso vale no matrimônio, no namoro, na amizade, no trabalho, na vida religiosa. Sempre viver em harmonia, construir um relacionamento saudável, para isso temos a força do perdão, da compreensão, da disponibilidade e sobretudo da força de Deus pela oração.

Transcrição Marta Romero





Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Frei Sebastião Benito Quaglio , em A Santa Missa

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.