Evangelho Dominical

Como cultivar a fé?

“Somos servos inúteis, fizemos somente o que devíamos fazer”

Jorge Lorente

Escrito por Jorge Lorente

02 OUT 2022 - 00H00 (Atualizada em 07 OUT 2022 - 14H16)

Os apóstolos disseram ao Senhor: “Aumenta-nos a fé”. E o Senhor respondeu: “Se tivésseis uma fé do tamanho de um grão de mostarda, diríeis a esta amoreira: ‘Arranca-te daqui e planta-te no mar’, e ela vos obedeceria. Quem de vós, tendo um escravo que lavra a terra ou cuida do gado, dirá para ele, quando voltar do campo: ‘Entra logo e senta-te à mesa’? Pelo contrário, não lhe dirá: ‘Prepara-me o jantar, arruma-te para me servires, enquanto eu como e bebo; depois comerás e beberás tu’? Por acaso fica o senhor devendo algum favor ao escravo pelo fato de este ter feito o que lhe foi mandado? Assim, também vós, quando tiverdes feito tudo que vos foi mandado, dizei: ‘Somos escravos inúteis. Fizemos apenas o que tínhamos de fazer’”.

Comentário

Já estamos em outubro, mês do Rosário e das missões. Para você missionário, para você missionária, o meu abraço fraterno. Todo cristão é um missionário, por isso nos reunimos para, mais uma vez, falar de Deus, meditar a sua Palavra e levar aos nossos irmãos alento e fé.

No evangelho de hoje, os apóstolos pedem a Jesus que lhes aumente a fé. Realmente, é preciso muita fé para ser um discípulo fiel, para seguir sem desanimar e para apresentar Jesus Cristo ao mundo. Diante de tantas barreiras, é preciso muita coragem para não se acovardar.

Levar a Palavra de Deus para todas as nações, evangelizar, tornar Jesus Cristo conhecido e amado, esse é o desafio do missionário. A coragem para superar os obstáculos e prosseguir, o ânimo para gritar bem alto a Boa Nova, são frutos da fé. Jesus nos diz que, com fé tudo é possível.

Quem tem fé, por menor que pareça, é capaz de fazer grandes coisas. Hoje, através de Lucas, Jesus fala da árvore que sai do seu lugar e planta-se no mar, já através de Mateus (17,20), Jesus diz que, com fé, somos capazes de mover uma montanha. Mas, como conseguir esses feitos extraordinários?

Certamente a fé não nos dá poderes mágicos. Esses dois exemplos de Jesus vão muito além do nosso entendimento. Humanamente falando-se, parecem absurdos e, é exatamente isso que Jesus pretende mostrar-nos, que a fé é capaz de fazer coisas que parecem absurdas e, até mesmo, impossíveis.

Diante do pedido dos apóstolos, Jesus começa dizendo da importância da fé e do seu poder de realização. O simples fato de acreditar que a solução existe, já é meio caminho andado para a solução. Fé é uma palavra abrangente que não está restrita na simples crença da existência de Deus.

Os exemplos de Jesus devem servir para alicerçar ainda mais a nossa fé. Ninguém precisa mover uma árvore, montanha e, nem mesmo levitar uma simples folha de papel, para provar a sua fé. A maior prova de fé está na vivência da própria fé. Viver a fé é deixar-se conduzir pela vontade de Deus.

Fé é adesão total aos Planos de Deus, é entregar-se sem restrições. A fé, como a semente de mostarda, começa pequena, e vai crescendo dia a dia. Não nascemos com fé, nem a ganhamos gratuitamente. Fé tem que ser plantada, cultivada e regada diariamente com muita oração.

A fé não deixa margens para dúvidas, ela é a própria certeza, é virtude, é um dom de Deus que tem seu crescimento acelerado quando adubada com sacrifícios e renúncias. A fé atinge a maturidade quando transformada em gestos concretos. Leia MaisUnidos pela fé na evangelizaçãoPapa nomeia Dom Valdir José Castro membro do Dicastério para as ComunicaçõesTour pela nova Agenda MIArcanjos são mensageiros de Deus

Jesus diz que tudo o que pedirmos a Deus, Ele nos dará sem impor condições. No entanto, é preciso pedir com fé. São Tiago reforça as Palavras de Jesus e afirma que fé sem obras é morta. Ao utilizar o termo servo inútil, Jesus sugere que nos reconheçamos desnecessários, pois Deus poderia fazer tudo sozinho, porém Ele quer precisar dos nossos serviços, do nosso empenho em servir ao próximo.

Com essas palavras, Jesus nos dá uma lição de humildade. Tenta trazer-nos à realidade ao lembrar-nos que somos servos de Deus e que o servo deve estar sempre disponível às necessidades do patrão.

É bom lembrar que somos pagos, e muito bem pagos! Recebemos muito mais do que merecemos para executar nossas tarefas. Portanto, tudo o que fizermos para o Senhor, que deu sua própria vida por nós, ainda é pouco.

Nascemos para ser santos, portanto, amar a Deus e ao próximo, faz parte das nossas tarefas diárias. Por tudo isso, vamos parar e meditar estas palavras que, apesar de ásperas, são verdadeiras: “O cristão que por amor, se aproxima do irmão, está apenas cumprindo sua obrigação!”

Escrito por
Jorge Lorente
Jorge Lorente

Locutor da Rádio Imaculada, colunista e escritor de vários livros consagrados. Seu último lançamento foi a obra "Maria, mãe e mulher".

1 Comentário

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Espiritualidade, em Evangelho Dominical

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.