Por Padre José Antônio Boareto Em Formação

A família no centro da vida social

É por amor a Deus que nos entregamos ao Seu Amor

Divulgação
Divulgação


E aí moçada boa? Como vocês estão? Muito bem, vamos lá, continuaremos aqui aprendendo juntos. Dizia o famoso escritor irlandês C.S. Lewis: “Deus não nos ama porque somos bons, mas porque Ele é amor”. Assim também devemos compreender o sentido profundo da nossa entrega ao Senhor, e o Seu amor em nós coloca-nos em movimento de amar.

Os princípios de solidariedade e subsidiariedade precisam ser compreendidos na perspectiva do amor. Ensina São Tomás de Aquino: “Aquilo que fazemos por amor, fazemo-lo no mais elevado grau voluntariamente” (Summa Theologiae I-II, q. 114, a.4c114a. 4c.).

Ainda retomando os princípios da Doutrina Social, poderíamos afirmar que eles expressam a exigência do Evangelho enquanto busca pela justiça, ou, em sua excelência maior, a caridade. Vivemos às “sombras de um mundo fechado” que ao radicalizar o individualismo experimenta a indiferença em relação ao próximo.

O cristão precisa redescobrir o que significa viver a partir da caridade, isto é, a partir do próprio Cristo, da essência do amor que é a doação, como ensina Santa Benedita da Cruz, ou mesmo, como nos ajuda a compreender a filósofa e mística francesa Simone Weil, segundo ela: “A plenitude do amor ao próximo consiste simplesmente na capacidade para perguntar ao próximo: Que sofrimento te atormenta?”.

No Docat, além destes textos que nos ajudam a compreender melhor o que é ensinado, temos os trechos de diversos documentos da Igreja. Continuando nosso estudo pelas ondas do rádio e da revista iniciaremos um novo capítulo: A base da sociedade.

A família. Por que Deus quer que nós vivamos em família? Como é que a Igreja vê a família? O que há de especial na família? A família tem ainda lugar na sociedade moderna?

Estas e outras perguntas iremos responder em nosso programa Doutrina jovem, todo sábado a partir das 14h, pela Rádio Imaculada. Vamos descobrir juntos a alegria do amor em família, seus desafios e esperanças. Espero por você lá, e vem, só segue, de esperança em esperança! Aquele abraço! Deus abençoe você! Salve Maria Imaculada!

Escrito por
PADRE ANTÔNIO BOARETO
Padre José Antônio Boareto

Presbítero da Diocese de Bragança Paulista, em São Paulo, doutor em ciências da religião e professor na PUC – Campinas.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Espiritualidade, em Formação

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.