Por Frei Diogo Luís Fuitem Em Formação

Os Reis que viram Jesus

Alguns magos vindos do Oriente que levaram presentes a Jesus são hoje celebrados como os Santos Reis

Pixabay
Pixabay


É bastante conhecida a narração bíblica daqueles magos que, vindos do Oriente, chegaram até Belém, na Judeia, e adoraram o recém-nascido Salvador da humanidade. Somente o evangelista Mateus evoca esse fato. Mas é lembrado entre nós em cantos e versos, pelo povo por meio das Folias de Reis.

Trata-se de um evento significativo que é celebrado na liturgia como Epifania, isto é, como manifestação do Menino- Deus às nações do mundo inteiro. E na Igreja primitiva era uma festa importante na qual era comemorado o Natal de Jesus, sendo homenageado por gente vinda de longe.

Os magos, de fato, não eram judeus. Eram considerados sábios e estudiosos dos astros. Descobrindo no céu uma estrela diferente, colocaram-se a caminho até chegar a Jerusalém, onde se encontram com o rei Herodes, rei desconfiado e cruel. Ao saber que, de acordo com as Escrituras, era em Belém que o Messias devia nascer, para lá se dirigem, guiados novamente pela estrela. Encontram o Menino e Sua mãe. Prestam adoração e entregam seus dons: ouro, incenso e mirra, simbolizando, com esses presentes, que viam naquela criança um rei, um ser divino e uma criatura humana sujeita às tribulações. Já no século IX, os magos receberam, por causa dos presentes oferecidos, três nomes, a saber: Melquior, Gaspar e Baltazar.

Qual a mensagem que os santos reis nos comunicam?

Há lições valiosas. Na verdade, somos todos convidados a agradecer a Deus pela presença de Seu Filho entre nós. Temos que reconhecer naquela criança alguém capaz de iluminar nossa vida. Aliás, Ele veio ao mundo para ser luz que espanta as trevas do pecado, da injustiça e do desamor. Ele pode, sim, clarear nossa caminhada ao longo de todo este ano que estamos iniciando. Ao mesmo tempo, percebemos que, desde o Seu nascimento, há uma divisão de atitudes. Há aqueles que o procuram como Mestre e Salvador. E há aqueles que, como Herodes, se incomodam com Sua proposta de vida. Cabe a nós tomarmos o propósito de sempre buscar e acolher, a cada dia, Sua presença. A graça de Deus nos fortaleça e nos ajude, neste ano 2021, a construir um mundo de fé e de solidariedade especialmente com os pequenos e fracos!

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Frei Diogo Luís Fuitem , em Formação

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.