Por Espiritualidade Em São Maximiliano Kolbe

As enfermidades de São Maximiliano

“A Imaculada faça como quiser, porque eu, a minha saúde, a doença, somos propriedade sua, estamos à Sua total disposição” (Escrito de São Maximiliano Kolbe 156)


Divulgação
Divulgação
Mártir da caridade, rogai por nós!


Por, Josimara Santos
Missionária da Imaculada-Padre Kolbe

A doença foi uma companheira de viagem para São Maximiliano. Desde estudante teve que conviver com uma forma de tuberculose que, em diversas fases da vida, o provou duramente. Nas cartas escritas dos hospitais, onde esteve internado para tratamento, transparece uma constante serenidade. A sua confiança permitiu- lhe viver com alegria mesmo estas passagens dolorosas. Mesmo sendo doente, de fato, Maximiliano não se deixou tomar pela fraqueza ou pela tristeza. Aliás, esquecendo a si mesmo, olhava ao redor à procura de fazer o bem. São muitas as páginas, ainda hoje eloquentes, nas quais fala do seu empenho entre os departamentos do hospital.

Kolbe achou uma forma de encontrar muitos jovens porque no hospital havia um setor em que estavam internados os estudantes universitários. Ele começou a visitá-los e, pouco a pouco, fez amizade com alguns deles. Entre um diálogo e outro, abordava também temas existenciais, e conseguiu deixar livros para lerem.

Foi assim que alguns retomaram o interesse pela fé vindo até a se confessarem e também pedindo para serem batizados. São Maximiliano tem muito a nos ensinar em referência ao tempo específico da doença. Com o seu testemunho, nos coloca diante de uma verdadeira mudança de mentalidade.

O doente pode se tornar fonte de cura para os outros, encontrando- se em um estado de fraqueza, pode estar mais do que nunca próximo ao coração de quem sofre.

Trechos de cartas que Kolbe escreveu durante as internações

“Continuo no hospital como capelão e paciente ao mesmo tempo e deverei ficar até o mês de maio (se o tratamento correr bem). Apesar de tudo isso, estou bem porque a vida dos mílites da Imaculada se reduz em deixar-se guiar onde, quando e como quer a Mamãe. Então, o que posso desejar de melhor?” (Escrito de São Maximiliano Kolbe 55).

“Quanto à minha saúde, que Ela disponha de tudo conforme for do seu agrado, como coisa e propriedade sua. Tanto vocês como eu, somos coisa e propriedade dela para sempre; portanto, que Ela, e exclusiva e livremente, faça de nós, da nossa vida, morte e eternidade, aquilo que desejar. Às vezes parece como se a minha missão sobre a terra já se tenha concluído. Não o sei com certeza, mas nem isso deve me interessar, porque sobre isso pensa Ela, ao passo que nós todos pensamos somente nela, para conquistar-lhe o mais rápido possível o mundo inteiro” (Escrito de São Maximiliano Kolbe 134).

“Com o auxílio da Imaculada vou melhorando. Quanto ao meu retorno imediato, só tenho a dizer-te que sinto saudade do trabalho, mas se a Imaculada não quer que eu esteja lá em Grodno, se eu voltasse não serviria certamente senão de obstáculo, pois Ela sozinha é capaz de dirigir tudo bem, até de maneira prodigiosa” (Escrito de São Maximiliano Kolbe 150).

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Espiritualidade, em São Maximiliano Kolbe

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.