A Santa Missa

O amor tem o poder de salvar o mundo

Confira a homilia da Santa Missa desta terça-feira (04).

Escrito por Frei Sebastião Benito Quaglio

04 OUT 2022 - 11H03 (Atualizada em 05 OUT 2022 - 10H58)

Francisco nasceu em 1.182 e morreu em 1.224, na Itália em Assis. Teve um tempo de vida curto. Durante esse tempo, viveu etapas. Quando jovem se tornou cavaleiro, foi até prisioneiro na guerra e o pai o libertou. A saúde dele era frágil, apesar disso tentou ainda a glória em Roma, mas não deu certo. Finalmente, estando olhando para o crucifixo, ouviu uma voz que disse: “Francisco, é melhor servir ao servo ou ao patrão?” Francisco respondeu que deveria servir o patrão, então a voz perguntou porque ele estava servindo ao servo.

Então Francisco entendeu que ele estava a serviço dos homens e não de Deus.

Sabemos todo o itinerário da sua vida. Uma das coisas mais marcantes foi o episódio em que ele entrega todos os seus bens, para seguir Jesus. O seu pai ficou contra ele. Francisco passou a viver radicalmente para Deus. Podemos resumir o carisma de São Francisco, parte do presépio e vai até a cruz. Francisco meditou muito sobre a humanidade de Deus em Jesus Cristo. Francisco de Assis conseguiu ver a presença de Deus, em todas as coisas, na natureza, em todo universo, na humanidade e em toda criação. A herança mais bonita que ele nos deixou foi o Cântico das Criaturas.

Francisco de Assis contemplou a humanidade e viu todo amor de Deus por ela ao ponto de se revestir dessa humanidade. Deus escolheu um altar para receber Jesus que foi Nossa Senhora. Francisco tinha muito amor à Nossa Senhora, inclusive escolheu um lugarejo para morar dedicado a ela. Também acabou morrendo na igreja dedicada a ela. Francisco de Assis passava dias e dias, quaresmas inteiras, meditando sobre tudo isso. Quando olhamos para a natureza, temos que ter respeito e amor, porque Deus cuida de nós e somos dependentes de toda a criação. Isso é um mergulho nas obras de Deus.

A partir de Francisco devemos respeitar mais a natureza, os homens, os animais e aquilo que a terra produz. Parece que é poesia, mas não é. Somos filhos da natureza que é um dom de Deus. Francisco de Assis é o padroeiro da ecologia, sendo que no seu tempo não havia esse problema que vivemos, Ele nos ensina que o jeito de nos relacionarmos com a natureza e a criação, é que determina a nossa sobrevivência e é isso é o que nos salva. Hoje em dia sabemos que o homem já sabe como destruir a Terra, usa a tecnologia mais avançada, para armas e bombas atômicas. O homem não conseguiu inventar como salvar o mundo, mas conseguiu inventar tudo o que pode destruí-lo. Francisco de Assis inverte esse olhar para sabermos, como olhar a criação e como olhar o ser humano. Isso é muito sério e se torna urgente. Não é poesia, é realidade, a vida está ameaçada. Vamos rezar porque o perigo existe, uma leitura errada do mundo, causa a destruição, uma leitura certa salva o mundo.

Amém.

Transcrição Marta Romero



2 Comentários

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Frei Sebastião Benito Quaglio , em A Santa Missa

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.


Estamos com um problema no nosso canal do YouTube. 

Para você acompanhar a programação da Rede Imaculada Ao Vivo, acesse o nosso Facebook