Por Frei Sebastião Benito Quaglio Em A Santa Missa

Jesus nos chama pelo nome

Pixabay
Pixabay


O Frei Sebastião Benito Quaglio (OFMConv) presidiu hoje a Santa Missa, no Santuário Imaculada Conceição e São Maximiliano Maria Kolbe, em São Bernardo do Campo, São Paulo, e comentou a Primeira Leitura (At 2,36-41) e o Evangelho de hoje (Jo 20,11-18).

Frei Sebastião destaca que na primeira leitura temos a experiência de Pedro. Jesus deu a ele uma força tão incrível que o levou a testemunhá-Lo perante os judeus. A força da palavra daquele discípulo, a convicção dele sobre a Ressurreição de Jesus, foi tão grande que três mil pessoas foram batizadas naquele dia.

No Evangelho temos um encontro muito especial Maria Madalena que esteve aos pés da Cruz, acompanhou Jesus até o Seu último respiro e até a Sepultura. No primeiro dia da semana, ainda cedo, ela correu ao sepulcro porque queria terminar o sepultamento de Jesus. Isso demonstra como Maria Madalena estava muito unida a Jesus.

Quando entrou no sepulcro e viu que o mesmo estava vazio, correu para avisar os apóstolos. Pedro e João correram, viram e acreditaram. Maria Madalena, quando eles foram embora, viu os anjos. Mas o coração dela estava aflito, ainda não entendia o que estava acontecendo.

Maria Madalena estava sofrendo, ela queria uma última coisa, cuidar de Jesus, do corpo Dele, porque O amava imensamente. A certo ponto Jesus apareceu na frente dela, mas ela achava que seria o jardineiro e disse: Se foi o senhor que levou embora o corpo Dele, diga onde está, que eu vou buscá-lo. Que ternura desta mulher para Jesus! Então Ele a chamou Miriam, que era o seu apelido e ela olhou para Jesus e também O chamou pelo apelido, Raboni, mestre. Realmente deve ter sido um momento muito especial.

Maria Madalena viu vivo Aquele que ela amava e que pensava que estivesse morto.

Nesse episódio vemos como a força do amor abre e quebra as barreiras da morte. Jesus nunca morreu no coração dela. Finalmente teve alegria de vê-lo de novo. Sim, meus irmãos, Jesus está vivo e nos chama pelo nome. Ele nos ama, então vamos nos sentir chamados. Jesus quer que sejamos felizes com Ele para sempre.

Voltemos nosso olhar para Jesus, como Maria Madalena. A Páscoa não é uma festa que passa, a Páscoa é Jesus vivo que nos ama e nos acompanha. Ele é o sentido da nossa vida. Jesus e que nunca nos deixa sós. Tudo quanto passou na cruz por nós valeu a pena. Jesus nos ama e nos chama pelo nome, então, sigamos nesta aventura da vida, sem medo, porque Jesus está vivo e anda conosco. Amém!

Transcrição Marta Romero

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Frei Sebastião Benito Quaglio , em A Santa Missa

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.