Por Eduardo Galindo Em O Mílite Atualizada em 22 OUT 2019 - 08H06

Uma preocupação de todos

Confira a série especial sobre saúde da mulher

Marcos Santos USP Imagens
 Marcos Santos  USP Imagens

As pesquisas apontam que as mulheres vão mais ao médico do que os homens, elas têm uma esperança de vida de 79 anos e quatro meses, contra 72 anos e cinco meses para eles. Esta diferença também se deve pelas políticas de saúde que privilegiaram a gestação e a diminuição da mortalidade infantil. As mulheres desenvolveram um cuidado de ir regularmente ao ginecologista e este profissional tem um olhar cuidadoso na parte preventiva ao câncer e outras doenças.

Embora a sociedade tenha se desenvolvido no campo tecnológico, ainda existe um abismo nas relações de funções entre homens e mulheres. Elas desempenham as mesmas funções deles, mas grande parte da responsabilidade do lar recai nos ombros delas e a carga de estresse e ansiedade são elevadas.

Devido ao seu lugar social, a mulher desenvolveu recursos para de enfrentar as situações emocionais como as de perda, traição, humilhação e as superarem, devido à maior capacidade afetiva. Esta maior capacidade afetiva está diretamente ligada à função da maternidade. Só as mulheres geram e desenvolvem uma capacidade especial de comunicação com os filhos, principalmente nos primeiros anos de vida, onde não existe ainda a comunicação verbal ou gestual. Leia MaisEspecial saúde da mulherCuidados específicos da saúde da mulher

Estes fatores tornam as mulheres mais predispostas à depressão e a outros transtornos mentais: para cada homem com o problema, há duas mulheres na mesma situação. As mulheres também são mais predispostas a distúrbios de humor como o Transtorno Afetivo Bipolar.

A melhor notícia é que atualmente existem tratamentos de grande eficácia para os adoecimentos emocionais. Eles permitem que as pessoas com depressão e outras doenças tenham o mínimo de prejuízo em suas vidas, mesmo portando doença mental.

Muitas mulheres não encontram na família e nem com o companheiro o suporte necessário para o enfrentamento da doença; em alguns casos são discriminadas e incentivadas a suspender o tratamento.


A sociedade tem o dever de investir em campanhas de estimulo a saúde da mulher, a família precisa compreender as profundas transformações hormonais e psíquicas que as mulheres lidam ao longo da vida. E enfim, a mulher precisa de compreender que a sua saúde física e mental depende da sua postura. Ainda existe um longo caminho de luta e conscientização social da importância social da mulher, e que todo ataque a ela destinado são ataques a própria família e humanidade.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Eduardo Galindo, em O Mílite

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.