Por Eduardo Galindo Em Psicologia

A frustração é essencial para nossa formação

Para que a pessoa consiga crescer precisa acolher as frustrações da vida

Divulgação
Divulgação


Acredito que grande parte da população faz promessas de emagrecer, trocar de trabalho, aprender um idioma e cuidar da saúde. Quando não realizam o que foi projetado, muitas pessoas se decepcionam de tal forma que correm o risco de abalar a própria saúde mental.

A frustração é o sentimento que surge quando não realizamos um desejo ou uma necessidade pessoal. Em si mesma ela não é má, mas precisa ser compreendida e trabalhada para que não desenvolva tensões internas e irritações. Para que a pessoa consiga crescer precisa acolher as frustrações da vida, e isso é saudável e não prejudica.

Apesar de parecer um sentimento decorrente de situações de fracasso, a frustração é de extrema importância para nossa constituição psicológica. Em níveis suportáveis, a falta de algo ou a desilusão estão associadas ao desenvolvimento da capacidade de adiar gratificações, fundamental para a vida em sociedade.

Já pensaram em uma criança sendo gratificada por todas as tarefas que ela realiza? Isso não faz bem, mas não é difícil encontrar pais que adotam essa conduta. Essa criança pode ter dificuldade para compreender a realidade da vida adulta, onde o desejo e a satisfação estão cada vez mais distantes e exigem cada vez mais trabalho e dedicação.

Na sociedade em que vivemos, o prazer e a satisfação são constantemente estimulados; a frustração é vista como sendo a pior experiência. Por isso, a inadaptação é generalizada: os adultos e as crianças, incapazes de vivenciar a frustração porque não foram preparados para isso. O desenvolvimento emocional adequado supõe que, com o passar do tempo, consigamos perceber que nem todos os nossos desejos podem ser satisfeitos e que as frustrações são uma parte essencial para a conquista de nós mesmos, caso contrário seremos agressivos, mal-humorados e incapazes de usufruir dos bons momentos da vida.

Escrito por
Eduardo Galindo (Divulgação)
Eduardo Galindo

Psicólogo Clínico, especialista em Psicoterapia Breve. Suas áreas de atuação são psicoterapia de adultos, grupos e casal, workshop, e assessorias de grupos e palestras.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por MI, em Psicologia

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.