Por Bárbara Rodrigues Em Minha História de Fé Atualizada em 21 MAI 2019 - 10H49

Amor Maior

Mãe e avó ligadas pelo futuro incerto do pequeno Juan

O mundo de Marilene e Jenifer caiu ao ver o pequeno Juan, de apenas 3 meses, lutando pela própria vida. Foi graças à força do amor e de Nossa Senhora que elas conseguiram seguir em frente.

Jenifer tinha acabado de voltar da pediatra, quando percebeu que algo estava estranho com seu bebê. Juan tossia muito e engasgava todas as vezes que ia ser amamentado. Como os sintomas eram leves, Jenifer decidiu esperar para levá-lo ao médico. No quarto dia, Juan ainda não tinha melhorado e, prevendo que ele ficaria internado, Jenifer resolveu assistir antes à apresentação escolar de seu filho mais velho, Enzo.

Chegando ao hospital, o médico solicitou vários exames para dar o diagnóstico: Juan estava com bronqueolite e precisava ser internado com urgência. Apesar de ser comum a doença se manifestar em crianças, principalmente em bebês que não têm o aparelho respiratório totalmente desenvolvido e que ficam com os bronquíolos inchados, ocasionando assim uma barreira na passagem de ar para os pulmões, Juan estava com o nível de plaquetas do sangue baixo, o que poderia trazer complicações.

No dia seguinte, Juan não conseguia respirar. Após uma hora de intubação, Juan teve uma parada cardíaca e ficou cinco minutos com o coração sem bater. A cada minuto em que Jenifer esperava seu bebê voltar a respirar, seu mundo desabava em puro sofrimento.

Do outro lado da cidade, a avó de Juan, Marilene, aguardava notícias do neto. Desde o primeiro dia que o pequeno foi internado, Marilene estava cuidando de Enzo para Jenifer ficar no hospital. A avó sofria com a falta de informação, e o pouco que sabia não era suficiente para tranquilizá-la, pois, ser avó é ser mãe duas vezes e tudo que ela queria era saber que Juan estava a salvo.

Marilene chorou muito e rezou a Nossa Senhora, porque Ela é mãe e conhece a dor pela qual sua família estava passando. Depois disso, resolveu ligar para a RIC 1490 AM e pedir orações para seu neto. Na ocasião, ela conseguiu falar com Frei Sebastião e Padre Toninho, que rezaram junto com os ouvintes pela cura de Juan. Marilene acreditava que seu neto ia melhorar e não tinha vergonha de sentir medo porque Jesus conhecia suas fraquezas.

Passados aqueles intermináveis cinco minutos, os médicos conseguiram reanimar Juan. Jenifer chorou e agradeceu a Nossa Senhora e a todos que rezavam por seu filho. A partir de então, o pequeno Juan foi ficando mais forte e a alegria voltou a reinar na família.

Ao término de 18 dias, o bebê teve alta e a sua luta para viver teve um final feliz. Por fim, Marilene e Jenifer entenderem que quando se tem fé, Deus alivia o peso da carga e dá força para superar os momentos ruins e transformá-los em bons.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Bárbara Rodrigues, em Minha História de Fé

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.