Por Jorge Lorente Em Colunista

O grande mundo é o seu lugar!

“Quem de vocês pode crescer um centímetro à custa de se preocupar com as coisas do mundo? Busquem, portanto, o Reino de Deus e o restante virá por acréscimo” ( Lc 12, 25.31)




Piracema é a época da desova em que os peixes sobem o rio e lutam com todas as suas forças, para atingirem sua nascente, para ali depositarem seus ovos para a procriação. Uma lenda chinesa sobre a piracema da carpa, ressalta sua coragem e determinação para alcançar seu objetivo e superar a dificuldade que a forte correnteza lhe impõe.

Curioso por saber mais sobre esse lindo peixe, fui visitar um criador de carpas. Quase não acreditei ao ver que ele as criava em um pequeno aquário. Eu havia visto uma criação de carpas, e elas eram enormes, coloridas e vistosas. Achei que aqueles pequenos peixinhos, confinados naquele pequeno espaço, logo morreriam. Só me acalmei quando soube que eles viviam naquele aquário em torno de dois anos, e já tinham atingido seu tamanho máximo.

Aprendi que a carpa tem a capacidade natural de crescer, de se moldar, ao tamanho e às condições do local em que vive. Podemos criá-la em um pequeno aquário, ou podemos colocá-la em um lago. Neste, se desenvolvem e se tornam bem grandes. Porém, se criadas em locais pequenos, elas se atrofiam, de forma a se adaptar ao tamanho do ambiente. Assim, num pequeno tanque, ou aquário, ela geralmente não passa de seis ou sete centímetros, mas, se colocada num lago, ela pode atingir o peso de vinte quilos e chegar a medir um metro de comprimento.

A carpa nos traz uma bela lição, pois comigo, com você, com todo ser humano acontece o mesmo. As pessoas têm a tendência de crescer de acordo com o ambiente que as cerca. Só que, neste caso, não estamos falando de crescimento físico, de estatura, mas de desenvolvimento espiritual, moral, intelectual.



A carpa não tem escolha. Ela não tem querer, por isso é obrigada a aceitar os limites que seu criador lhe impõe. Se o mundo que lhe é oferecido tem o tamanho de um aquário, ela tem que moldar-se, frear seu crescimento para sobreviver naquele pequeno espaço. Porém, se o criador a coloca em um lago, ela usa toda sua energia interior para atingir grandes dimensões.

Diferentemente do criador de peixes, nosso Criador nos oferece o mundo inteirinho para nele fazermos morada, e nos dá total liberdade para expansão. Nós estamos livres para estabelecer as fronteiras dos nossos sonhos. Nosso Pai não quer ver seus filhos atrofiados, minguados, e sem espaço para crescer. É chegada a hora de utilizarmos nossa energia interior e buscarmos nossas reais dimensões, pois se somos capazes de crescer mais do que o “aquário” que nos oferecem, em vez de nos adaptarmos a esse mundinho repleto de negativismo, e vazio de coisas boas, devemos buscar nosso crescimento no “Grande Lago”, só encontrado na Palavra de Deus e em suas promessas de vida em abundância.

Escrito por
Jorge Lorente
Jorge Lorente

Locutor da Rádio Imaculada, colunista e escritor de vários livros consagrados. Seu último lançamento foi a obra "Maria, mãe e mulher".

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por MI, em Colunista

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.