Por Gabriel Queiroz Em Colunista Atualizada em 13 OUT 2020 - 17H26

Desacelere

O excesso de informação nem sempre é benéfico




O Brasil continua em quarentena e o cenário não parece tão animador a ponto de prever normalidade para os próximos dias. As redes sociais se tornaram a janela do mundo e um costume adotado nesses dias de isolamento tem deixado bastante gente intrigada.

Uns fazem cursos de idiomas, outros fazem treinos aeróbicos exaustivos em casa, há também quem maratone cursos extracurriculares online para turbinar o CV neste tempo de crise. Não existe uma receita para passar por tudo isso do jeito certo, mas o que tem acontecido nas grandes plataformas é um grande ditado de regras que faz com que muita gente se sinta frustrada e improdutiva por não conseguir ocupar o seu tempo com este tipo de coisa.

Não tem problema você preencher sua rotina com tudo o que foi citado no parágrafo acima, mas também não tem problema você não conseguir. Agora não é a hora de pisar no acelerador e correr atrás do prejuízo, muito pelo contrário, é um tempo de desacelerar e viver mais o agora. Valorizar a companhia de quem está ao seu lado, refletir sobre a vida, conversar com Deus, cuidar de você mesmo, descansar. É claro que sem esquecer as obrigações do trabalho e do dia-a-dia que continuam a surgir.

A vida é tão corrida, comandos e vozes nos rodeiam o tempo todo. Para onde quer que olhemos somos bombardeados de informações que entram sem permissão e com um tempo maior de ócio, os efeitos disso tem se mostrado mais nocivos. Estamos tendo a oportunidade de nos recolher, é claro que longe das condições ideais, mas precisamos entender o que é o momento e vivê-lo de frente. A vida vai voltar ao normal, a hora de correr atrás de tudo o que perdemos vai chegar, não se culpe por não conseguir otimizar o tempo e torná-lo 100% produtivo. As realidades de cada um são muito diferentes e a gente só busca fazer o nosso melhor.Leia MaisQuarentena: Editora sugere livros para refletir e rezar em tempos de isolamento social5 orações para rezar todo dia 5 coisas para fazer na quarentenaTirando água de pedra

Fazendo um paralelo com a vida de oração, é muito bom estar em comunidade rezando num momento de efusão, onde todos clamam, o coração se enche de alegria, os dons transbordam e a gente se sente em um só corpo com a igreja. Mas a nossa oração pessoal, diretamente com Deus toda noite na beira da cama, é tão eficaz quanto. Ouso dizer, que o nosso silêncio, o nosso momento pessoal com Jesus, é até mais sincero. Estamos passando por este momento de “oração pessoal” e precisamos reconhecer a beleza no lado avesso da agitação.

Tem sido incrível ver o mundo se adaptando a uma nova realidade e as pessoas encontrando formas diferentes de fazer o que amam. Você tem feito um bom trabalho e vamos passar por tudo isso juntos, sem medo da tempestade, como bem citou o Papa Francisco na bênção extraordinária ‘Urbi et Orbi’.

“Com a tempestade, caiu a maquiagem dos estereótipos com que mascaramos o nosso ‘eu’ sempre preocupado com a própria imagem; e ficou a descoberto, uma vez mais, aquela abençoada pertença comum a que não nos podemos subtrair: a pertença como irmãos”. (Papa Francisco)

Escrito por
Gabriel Lopes
Gabriel Queiroz

Formado em Rádio, TV e Internet, atua como produtor audiovisual na Rede Imaculada de Comunicação. É um entusiasta da cultura e do entretenimento e acredita, assim como São João Paulo II, na força da arte como ferramenta para adentrar os corações.

1 Comentário

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Gabriel Queiroz, em Colunista

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.